O simples fato deste ser um filme de terror vindo do Uruguai já desperta o interesse. Interesse que aumenta quando se conhece a natureza do projeto: o filme é todo feito como um único plano-seqüência, sem cortes aparentes. E o longa começa bastante interessante, criando tensão basicamente com um jogo de luz e sombras – e quilos de efeitos sonoros. Os sustos da primeira metade do longa são bons e o diretor consegue criar algumas imagens bem macabras, como o estranho iluminado numa encruzilhada. Mas infelizmente o diretor Gustavo Hernández não se contentou com o terror mais básico e resolveu buscar explicações psicológicas no que vende como uma suposta história real. Aí o jogo vira e o filme perde a espontaneidade quando o velho e bom desconhecido dá lugar à “sordidez da mente humana”.

A Casa EstrelinhaEstrelinha
[La Casa Muda, Gustavo Hernández, 2010]

Comentários

comentários

2 comentários sobre “A Casa”

  1. Esse filme eu já vi em vários lugares dizendo que é muito bom!
    Fico lembrando de Bruxa de Blair, Quarentena…
    Esses filmes são realmente de terror, não aqueles pastelões americanos…

    Isso sim dá medo!

  2. não conhecia a história do filme. também não conhecia nenhum terror uruguaio. é uma pena que vários filmes do gênero caiam na besteira de procurar essas explicações religiosas e na tentativa de vender como uma história real. lamentável…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *