Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto

Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto

A primeira dica sobre este novo filme de Sidney Lumet merece atenção: não leia uma única linha de qualquer sinopse deste filme. Nada. Todas elas estragam boa parte da deliciosa impressão que esta estranhíssima obra-prima nos traz. O que você precisa sabaer sobre o filme, se realmente precisa, é que Lumet transporta o clássico gênero dos filmes sobre assaltos para o mais clássico ainda gênero dos filmes de família. É do encontro dos dois que surgem a estranheza e a genialidade. O texto se ergue numa base perigosa, que muitas vezes risca a fronteira do ridículo, com tantas semelhanças e coincidências e é impressionante como tudo dá absolutamente certo. Parece coisa de escritor veterano, mas este é o único crédito de roteiro de Kelly Masterson. Talvez seja de sua ousadia junto com a direção segura de Lumet que tenha saído o casamento perfeito, onde tudo funciona: a montagem com saltos anunciados pela trilha sonora – Carter Burwell em mais uma obra-prima – e a movimentação do elenco – ninguém brilhante, mas todos formando um conjunto sem par.

Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Before the Devil Knows You’re Dead, Sidney Lumet, 2007]

Comentários

comentários

9 thoughts on “Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto”

  1. Descobri seu site hoje, ao procurar informações sobre esse filme, que assisti ontem. BOM DEMAIS! Pesado pacas, especialmente a cena final…
    Não sei ainda se é obra-prima, mas certamente será lembrado por um bom tempo!
    Passarei a ter seu blog nos Favoritos da minha máquina. Valeu!

  2. O filme é bom em todos os sentidos, claro que o Seymour Hoffman acrescenta todo o conteúdo negro que o título remete. É o confronto (des)humano entre todas as malícias do devil. Somos apenas marionetes do destino!
    Abraço,
    Isa.

  3. Ao assistir este filme me lembrei de um episódio de Os Simpsons: “A Trilogia do Erro” (12ª Temp), quando um mesmo fato é mostrato de diversos angulos, dependendo do ponto de vista de determinada personagem. Por essa sacada do diretor, posso dizer que realmente o filme é muito bom, porém a expressão “obra-prima” só é reservada para filmes muito especiais. Vale a pena ser assistido, bom divertimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *