Batman – O Cavaleiro das Trevas

Christian Bale, Gary Oldman, Heath Ledger

O tipo de filme que mais me incomoda é aquele sobre o qual eu não consigo dar uma palavra final. Não um decreto para ninguém, mas uma decisão para mim mesmo. “Este filme é bom” ou “deste filme, eu não gosto”. O tempo ou uma revisão geralmente faz as coisas pesarem para um lado ou para outro, mas Batman – O Cavaleiro das Trevas tem a maior cara de que vai me torturar por anos a fio. Quem lê esse blogue sabe que eu sou fã de quadrinhos desde criança, especialmente Marvel e DC, especialmente especialmente DC Comics, e que nem sempre eu sei separar meu amor pelos personagens das minhas impressões sobre o filme (nem sei se isso é realmente necessário ou se faz parte do jogo), mas eu gostaria mesmo é de gostar deste longa pelo que ele é e não pelo que ele envolve.

Mas a sensação maior depois de assistir ao novo trabalho de Christopher Nolan é incômoda, como se dois filmes convivessem dentro de um. E eles não são muito amigos. O primeiro é aquele que todos imaginavam, uma seqüência imediata do amado/odiado Batman Begins, o filme sóbrio sobre o personagem, fugindo do fantasioso mundo de Tim Burton ou dos carros alegóricos de Joel Schumacher. O cenário abre as portas para a aguardada performance de Heath Ledger como o Coringa, muito menos descontrolada ou anárquica do que se podia esperar, mas não menos genial, composta com cuidados milimétricos, uma caracterização impecável, onde o filme aposta todo o texto bom, com destaque para a cena do interrogatório.

Neste primeiro filme, estão os atores que se esforçam para que o pacote saia íntegro, como Michael Caine, que mesmo num papel resumido mostra porque está entre os melhores, Gary Oldman, que segue negando os tiques que pontuaram sua carreira, desta vez com destaque maior dentro da trama, e o grande Aaron Eckhart, que poderia ter sido facilmente engolido pela interpretação de Ledger, mas se revela o ator mais equilibrado do filme, muito bem da primeira à última vez em que dá a(s) caras. Por sinal, eu que costumo ser relutante a novas versões sobre as origens dos personagens, acho que as soluções encontradas para Harvey Dent deram muito certo.

O segundo filme que mora dentro de O Cavaleiro das Trevas é um monstrengo grandalhão, que me fez imaginar se não teriam deixado as cenas de ação sob o comando de Michael Bay. Juro. Há (muitas) seqüências tão interessadas em demonstrar o quanto podem ser barulhentas e destruidoras que eu pensei que aquilo só poderia fazer sentido para Bay ou para os fãs de Duro de Matar. Conseguiram deixar o batmóvel ainda mais feio, parecendo um modelo inacabado de tanque de guerra. Sei que era essa a idéia, mas o filme não justifica essa visão de Gotham City com a cidade dominada pelos criminosos dos quadrinhos. E, olha, não tenho nada contra filmes de ação pela ação, mas não acho que certas coisas coexistam pacificamente com outros elementos do filme.

O que combina direitinho com essa massa bruta meio disforme é a interpretação de Christian Bale – ô atorzinho tosco! – que não tem a menor idéia do que fazer com sua canastrice, ainda mais com tanta gente boa em sua volta. É até covardia comparar os embates verbais entre o protagonista e Ledger ou Eckhart, mas ele apanha até nas conversinhas mais românticas com Maggie Gyleenhaal – eficiente, assumindo o papel de Rachel Dawes. E não há ninguém que possa me convencer que não foi um sabotador que inventou aquela voz mecânica pro Batman. Sinceramente. É uma escolha estúpida, que desmoraliza qualquer diálogo.

Por sinal, quando eu disse que reservaram o melhor do texto para Ledger, não quis dizer que somente Bale perdeu com isso. Assim como no longa anterior, O Cavaleiro das Trevas também peca por ser muito didático. Existe uma idéia que percorre todo o filme que é a de diferenciar o Batman dos heróis tradicionais ou mesmo de um herói. É uma idéia meio ingênua porque qualquer pessoa com o mínimo de informação, que não precisa ter lido uma HQ na vida, sabe que o Batman não é o Superman ou Capitão América. No entanto, o roteiro de Christopher e seu irmão Jonathan Nolan tem umas idéias interessantes, como o debate ético entre Bale e Morgan Freeman sobre a criação de um sistema espião, que lembra o Irmão Olho das HQs. É quando percebemos a moral discutível do vigilante.

É dessas diferenças que se constrói o filme. Há um espaço farto para que os bons atores entrem em cena, um cuidado para arrendorar personagens, uma decisão corajosa de deixar alguns personagens para trás e um certo esforço para que a investigação central do filme tenha alguns elementos detetivescos, mas também há muita preocupação em atrair platéias com piadas (quando elas vêem de Michael Caine ou Heath Ledger até as ruins ficam boas) e, sobretudo, com as explosões, perseguições e resgates que transformam um filme num blockbuster. Não consigo saber o que pesa mais. Não quero ser condolescente nem injusto, por isso, por enquanto, por agora, eu prefiro mesmo o meio termo.

Batman – O Cavaleiro das Trevas EstrelinhaEstrelinha½
[The Dark Knight, Christopher Nolan, 2008]

Comentários

comentários

89 thoughts on “Batman – O Cavaleiro das Trevas”

  1. Ainda não vi o filme, mas estou na expectativa.
    Gostei muito da visão passada pelo Batmam Begins, atual, diferente…
    E pelo pouco que vi sobre esse novo filme, acho que vou gostar. É esperar pra ver!

  2. Ma, vá sem medo porque o filme tem muito a oferecer. Esse meu texto não é para desanimar ninguém.

    Apesar de já ter gente querendo deturpar o que eu escrevi, eu mesmo afirmo logo no começo que não cheguei a uma conclusão sobre o filme e acho que um filme que consegue fazer isso já é interessante por si só.

  3. Bem, ainda não vi o filme mas como minha expectativa é muito alta, vou comentar algumas coisas … primeiramente, como não sou um fã de HQ (do personagem só li Batman: Ano Um), não tenho uma bagagem para comentar determinadas questões e, de certa forma, fico mais “livre” para analisar os filmes por si só. Por isso, baseando-me somente no que já foi feito do Batman no cinema, acho que o personagem só funciona realmente com esse tom realista-urbano de filme policial que o Nolan imprimiu a ele. É a impressão que eu tenho. Por isso, seu texto não me desanima, até porque as coisas que vc não gosta são as que eu gostei em Begins e acho que vou gostar aqui.
    Uma outra coisa: li alguns textos na internet e todos, assim como o seu, elogiam muito o Eckhart. Daí, conforme vai se aproximando a estréia do filme, minha expectativa altíssima em torno da atuação do Ledger e da caracterização do Coringa está, de repente, dando lugar a uma grande curiosidade em relação ao Harvey Dent/Duas Caras do Eckhart … fico até com uma vontade enorme de te perguntar como se dá a deformação do personagem e como ele aparenta já como o vilão … mas não vou perguntar ! rsrsrs. Vou me controlar … rs.
    Enfim, morrendo de inveja de vc que já viu o filme fico aqui aguardando ansiosamente o dia 18.
    Abraços.

  4. Sou daqueles que respeitam muito a opinião individual de cada um. Mas, sua crítica referente ao ator Christian Bale me pareceu superficial e de certo modo pura birra.

  5. Todos aguardam ansiosos: é o filme mais esperado do ano. O próprio Nolan deve estar com as mãos suando, até porque ele sentiu na pele algumas críticas negativas do anterior, muita gente comparando com os filmes do Burton e etc e tal. Confesso que estou indo ao cinema mais pelo Ledger do que pelo filme mesmo (não curti muito o primeiro, mas fiquei extasiado quando vi o trailer). Espero não sair desapontado. E como o ano tem sido bom para os heróis (vide as críticas a Hulk e Homem de Ferro), por que não torcer pelo tão sonhado bom filme?

    Discutir a mídia? Acesse
    http://robertoqueiroz.wordpress.com

  6. Não fiz uma crítica ao Bale nem tive a intenção de me aprofundar, Gustavo. Apenas falei o que eu acho. E eu acho ele um ator medíocre mesmo. Fraco, caricato, careteiro. Isso pode até ser birra, mas é o que eu acho.

  7. Bale é um ator superestimado. Para ele existem apenas dois tipos de imterpretação : fazer cara de louco ou fazer cara de cansado, independente se ele perder 30 quilos para o papel.

    >o filme sóbrio sobre o personagem, fugindo do fantasioso mundo de Tim Burton ou dos carros alegóricos de Joel Schumacher.

    “Batman Begins” é falsamente sóbrio. Se fosse o Schumacher a mostrar um batmóvel que pula pelos telhados, ia ter gente surtanto aos montes.

    > não há ninguém que possa me convencer que não foi um sabotador que inventou aquela voz mecânica pro Batman. Sinceramente. É uma escolha estúpida, que desmoraliza qualquer diálogo.

    Batman, o herói com efisema pulmonar.

  8. Em Batman Begins ele tá com cara de louco ou de cansado ? E em O Grande Truque ? E em Não Estou Lá ? E em Os Indomáveis ? Ah, sim, e em Império do Sol ?
    Siceramente, acho essa uma crítica despropositada. Ele pode não ser nenhum gênio da interpretação mas é um ator, no mínimo, muito competente.

  9. Vc traduziu o Bale perfeitamente, Leandro.

    Sobre o ‘Begins’, quis dizer que essa era a impressão que ele queria causar.

    “O Abominável Batman Phibes”.

    Bem, Wallace, como diz a bela canção, “cada um no seu quadrado”. Não é de hoje que eu acho o Bale canastrão e já falei isso aqui neste blogue muitas e muitas vezes. Acho ele péssimo em “O Operário””, risível em “Psicopata Americano”, e ruim em todo o resto. Em “Os Indomáveis”, ele parecia mais maduro, mas encolhido perto de um ator de verdade como o Russell Crowe. Em “Império do Sol”, ele era muito criança para eu, que tb era criança, julgar. Só revendo.

  10. vou “criticar” a sua critica.muito parcial e praticamente sem um fundamento tecnico.procure se informar mais sobre a produção dos filmes que comentar. com relação a voz do batman nos novos filmes, no proprio dvd do batman begins, esta tudo bem explicado.

  11. Helton, não sei se vc sabe, mas textos opinativos sempre são “parciais”. Fundamento técnico? Eu não reclamei da parte técnica. Reclamei das opções de roteiro e direção.

    E a voz, bem… nada que eu leia vai justificar aquela coisinha ridícula.

  12. Desculpe,mais tanto o seu texto, quanto as suas criticas são muito amadoras.Tipo: não gosto desse ator porque é feio-ou-aquela atriz tem o nariz muito grande.Mais uma vez desculpe é a minha opinão.

  13. >Em Batman Begins ele tá com cara de louco ou de cansado ?

    Louco, principalmete quando veste a máscara

    >E em O Grande Truque ?

    Louco. Em dose dupla.

    >E em Não Estou Lá ?

    Cansado. Depois quando se converte, louco.

    >E em Os Indomáveis ?

    Começa cansado. Depois ele desperta.

    >Ah, sim, e em Império do Sol ?

    Ele ainda era criança e não tinha os vícios de interpretação que tem hoje.

  14. Rapaz, vim aqui tirar um sarro dizendo que só porque não se decidiu se o filme é bom ou não é quase certeza de que vou amá-lo e dou de cara com essa “discussão” maduríssima sobre a opinião alheia, que ao diferir da minha ou do que eu acho que ele deveria pensar, é feia… rs…

    Quem era mesmo que dizia que toda unanimidade é burra??? rs..

    Beijo querido!

  15. ele é só uma pessoa… dexa a opinião dele pra lá..

    faça me o favor neh…. q critica mais tosca…

    acho q essa pessoa quer tentar aparecer sei lá.. sabe que todo mundo na maior expectativa para ver um filme perfeito… e todos vao ficar interessados e curiosos em ler a parte negativa… dai ele fala das vozes… e critica os atores…

    resumindo: ele quer causar.
    resumindo 2: ignore

  16. Nota-se que esse crítico que eu nunca ouvi falar na verdade…
    Tem algum problema pessoal com Cristian Bale!
    E não manja nada de quadrinhos do Batmam… Pois o vozeirão do Batman já foi mencionado nas HQ!!!
    E de tão baixo nivel esse crítico que ele perde tempo respondendo as críticas da crítica que ele fez. Lamentavel…

  17. Ainda não assisti o novo Batman, espero ver logo. Mas o que me impressionou mesmo são os comentários à sua crítica, que falta de respeito pela opinião alheia. Tudo bem as pessoas discordarem umas das outras, debaterem suas diferenças. Agora, partir pra ofensa pessoal, te chamando de tolo, entre outras coisas, é um tanto ridículo.
    Acompanho seu blog já faz um tempinho e gosto muito de suas críticas, mesmo que discorde delas. Sempre são bem elaboradas e fundamentadas, não raro mais interessantes do que as publicadas em jornais, por exemplo. É isso, não desanima não, rs…

  18. Estranhamente, a critica reclama das cenas de ação barulhentas mas parece esquecer que em Homem de ferro tinha isso também.e o tempo todo.
    São dois pesos e duas medidas?

    Faltou critério a crítica.

  19. Acho o Cristian Bale muito competente como ator. Ele expressa o que tem que expressar na hora certa seguindo o roteiro, com nas lembranças que Bruce Wayne tinha do pai em Batman Begins.

    O citado Russell Crowe pra mim é até um bom ator mas muito mais limitado do que o Bale.
    Não consigo diferenciar por exemplo o protagonista de Gladiador do de Uma Mente Brilhante.

  20. Não quero apenas discordar de vc, mas acho que tu es um fã convicto e alucinado do Joel Schumacher…Dizer que BALE é tosco, cara vc assistiu mesmo todos os filmes do cara? Ou vc gostaria de ver o George Cloney na pele do morcego de novo??

  21. Tudo bem, que muitos aqui não concordem com a crítica do Chico, principalmente, em relação ao ator Christian Bale – incluindo eu. Mas, devemos respeitar, é a opinião dele. Coloquem seus argumentos, mas respeitem que ele tem o direito de achar isso. Acho que o pessoal aqui está indo para um lado que não gosto, um lado de catequizadores, tentando converter o Chico. E aí, eu discordo.

  22. Quem vem nesse espaco monitorar qualquer opiniao diferente da sua propria sugere o que?Que o Chico,autor e responsavel por tudo o que e escrito aqui deixe de dizer aquilo que ele pensa?
    Isso e um blog!!!Seu principio e esse, ser pessoal, abrindo espacao para trocas.Concordar ou nao torna-se um detalhe.

  23. Nerds fãs de de HQs são sempre idiotas, sentem-se ofendidos às vezes só pela opinião ser contida(como a do Chico) e não exaltando o filme como obra-prima, que eles já acham que é sem nem terem assistido. Dá até vontade de odiar o filme(e olha que estou com altas expectativas).

  24. >Nerds fãs de de HQs são sempre idiotas, sentem-se ofendidos às vezes só pela opinião ser contida(como a do Chico)e não exaltando o filme como obra-prima

    E isso porque o Chico é um fã de HQs, assim como eu. É por causa de tipos como esses que apareceram por aqui, que às vezes tenho até vergonha de dizer que leio gibis da marvel há mais de 20 anos.

  25. Só corrigindo: “Acompanho seu blog já faz um tempinho e gosto muito de suas críticas, mesmo que discorde delas”…às vezes…não quis dizer q sempre discordo, rs.

  26. Fala Chico,

    Bale não têm o talento de Tom Hanks, porém o mesmo sempre levou o personagem a sério. Lembra-se de Michael Keaton, Val Kilmer e pasmen !! George Clooney (outro fántástico ator, porém não serve para viver Bruce/Batman). Nada de mamilos, gotham parecendo a sapucaí, Jack Nicholson, Tommy lee Jones… que venhas as trevas !!! ah, quem fizer parte da comunidade no orkut Batman – the dark knight.joker e um fizer o melhor comentário sobre o filme, irá ganhar um banner do filme (trabalho em cinema)… abrs hahahahahah

  27. OLa!
    Antes de expressar meu comentario (ainda nao vi o filme )gostaria de saber de algumas coisas Chico. Na sua classificação voce escolhe dar de 5 a 0 estrelas, e em contra-respostas voce deixa claro que os comentarios sao totalmente pessoais-parciais. Afinal o significa um filme ter 5 estrelas? Excelencia tecnica? Diversao absoluta?
    valeu, abraço.

  28. Já vi que respondeu a muitos fãs dos quadrinhos, alguns que só curtiram os filme e outros tantos.
    Como você, Chico, sou um fã das HQ’s da DC Comics, tanto que não ligo de me auto-denominar um decenauta (pra quem não sabe, foi um termo antigo criado pela Editora Abril, para os fãs dos personagens da DC Comics). Eu tento visualizar da seguinte forma os filmes feitos dos personagens da DC, pela Warner: A Warner dá ao diretores contratados a liberdade para interpretarem os personagens, como a DC dá ao seus editores e redatores. Richard Donner deu sua própria visão ao Superman em 1978, Tim Burton fez o mesmo com Batman e Batman Returns, assim como Joel Schumacher fez com Batman Forever e Batman & Robin. Tim Burton é um diretor que gosta de um psicológico perturbado, coisa que ele não conseguia visualizar em Bruce Wayne/Batman, mas sim no Coringa (Jack Nicholson), Pingüim (Danny De Vito) e Mulher Gato (Michelle Pfeiffer), tanto que percebemos como sua direção se concentrou bem nesses personagens, deixando o Batman como um mero espectador-ativo. Joel Schumacher já posssuia uma visão mais “camp”, graças ao seriado dos anos 1960, fazendo mais uma sátira do Batman do que levando-o a sério.
    Christopher Nolan não era nem um árduo conhecedor dos quadrinhos, mas compreendeu bem a idéia do que Goyer queria passar com o seu roteiro (esse sim é um fã). Como diretor independente, com filmes como Amnésia e Insônia, visualizou um Batman mais urbano, menos fantasioso e menos apagado, assim direcionou o primeiro filme a sua história de ascensão como justiceiro. No começo, quando assisti o filme, analisei como um fã dos quadrinhos e não gostei muito do que vi, mas comecei a pensar como um fã do Batman, que gostaria de vê-lo bem interpretado no cinema, então comecei a pensar: “como seria o Batman se ele ‘existisse’?”, daí vi o que eu queria no filme de Nolan.
    Só vou ver o filme dentro de três dias, pois não sou tão sortudo a ponto de residir em Sâo Paulo ou Rio de Janeiro (moro no Espírito Santo) e nem sou jornalista, mas vejo e leio todas as análises feitas. Posso ter interpretado mal o que você quis dizer, mas acho que foi uma análise de um fã dos quadrinhos, mas sem um visão direcionada a sétima arte, coisa que devemos fazer quando vemos filmes como Superman de Donner e Batman de Nolan.

  29. Renata, eu tinha entendido. Obrigado pelas visitas.

    Quanto ao pessoal que veio dar uma equilibrada na discussão, obrigado também.

    André, as cotações são pessoais. Aí vale tudo: técnica, inovação, inteligência, capacidade de me envolver, enfim, tudo.

    O curioso é que esse texto foi considerado um texto negativo sobre o filme, quando, desde o começo, eu falo que tinha coisas de que gosto e outras de que não gosto. Ou seja, começaram a dar patada sem razão – e, sem ver o filme, o que multiplica a expressão sem razão e, a meu ver, desqualifica as respostas.

    Alguns argumentos são “enquanto todos falam bem” ou “birra” e ainda resumem o texto à minha frase sobre o horroroso batmóvel. Isso, para mim, é falta de capacidade de argumentação.

    Se eu tivesse odiado o filme e falado mal de tudo, eu até entenderia a reação, embora eu tenha o total direito de falar mal do que eu quiser – ainda mais no meu blogue. Mas nem foi assim.

    Espero rever o filme logo e escrever mais alguma coisa a respeito se der vontade.

    Enquanto isso, minha única certeza é que Christian Bale é um ator menor.

  30. Oi e obrigado pelos esclarecimentos.
    Vamos lá… assim como voce, gosto de quadrinhos, principlamente da DC(acho que eles tem um melhor conceito de continuidade) coleciono Hq´s desde criança, por isso me familiarizei com voce. No seu caso acho que a sua critica é maior em função ate desda simpatia pela DC, ou seja, o seu(s) personagens prediletos nao podem ser interpretados e representados (em filmes) por qualquer um e de qualquer forma.
    Anteriormente, quando perguntei sobre a classificação de estrelas, foi devido a observação de outras criticas postados no site sobre outros filmes como Homem de Ferro, Homem Aranha(I,II,II), estes recebem classificaçoes bem elevadas, ate pelos mesmos motivos que voce citou para classificar The Dark Night com 2 ou 3 estrelas.
    É claro que nos voltaremos ao mesmo tema: o que importa é sua impressao pessoal. Mas o meu questionamento é como achar um senso de critica para este “tipo” de filme.

  31. Não tenho um modelo para avaliar filmes baseados em HQ. Vejo todos os filmes, de quaisquer gêneros, da mesma forma. Se gosto ou não, depende do filme ou da minha disponibilidade.

    Gosto do primeiro Aranha, acho o segundo genial e acho o terceiro mediano. Do ‘Homem de Ferro’, que tem um grande ator, escolha arriscada, eu gostei muito.

    Sempre fui mais fã da DC, apesar de sempre acompanhar a Marvel também. No entanto, no cinema, acho que a Marvel, além de ter um plano de verdade para adaptar seus heróis, trata-os muito melhor do que a DC.

    Gosto bastante do novo Superman e acho o Batman Begins legal, apesar de muito didático. Só não gosto mesmo do Bale.

  32. Se não tem sentido festejar as qualidades de um filme porque seu personagem é herói popular dos quadrinhos, também não tem sentido descartá-lo por gozar dessa popularidade toda. Julgar sem ver ou ao menos tentar entender o que significam filmes como “Batman Begins” e “Batman – O Cavaleiro das Trevas” no contexto de hoje está longe de ser inteligente.

    critica Alessandro Giannini

    aprenda Chico.

  33. Chico, assisti o filme hoje e, como imaginava, gostei muito. Muito mesmo. Talvez esteja entre os 3 melhores do ano, ao lado de Sangue Negro e Onde os Fracos Não Têm Vez …
    Ledger, Eckhart e Oldman estão absolutamente perfeitos, tudo na trama se encaixa e tal … mas uma coisa que vc falou me chamou a atenção: a voz do Batman … rsrsrs. É que, de fato, é algo que soa meio estranho e que atrapalha um bocado a interpretação do Bale (que, como já disse anteriormente, considero um ótimo ator). No entanto, me parece que faz sentido o Batman ter uma voz diferente da do Bruce, até para não correr o risco de ser reconhecido, não é ? Mas talvez, realmente, isso pudesse ter sido melhor trabalhado.
    Ah, a cena do ano: “vcs querem ver eu fazer esse lápis desaparecer ?” AHAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHA.

  34. Juro que eu acho que tem gente que tem problemas de raciocínio e compreensão de texto. Primeiro, eu vi o filme. A maioria dos detratores aqui nem o tinha visto quando atiraram as pedras. Agora que viram, fico feliz porque serão pedras com mais propriedade.

    Mas o que mais me espanta é que, nesse texto, eu listei coisas de que eu gostava e coisas de que não gostava. Se eu não babei o ovo de cada fotograma do filme como um fã enlouquecido de HQ, que celebra qualquer coisa sem tê-la visto só porque tem uma marca, me perdoe por ter uma opinião (e eu sou um fã de HQ, não enlouquecido, claro).

    Por fim, no “Guia da Folha”, o autor citado pelo rapaz acima escreveu alguns improperios. Tipo dizer que este filme não é uma versão literal da obra homônima de Frank Miller, mas tem nela sua principal inspiração. Ahn? Pelo que eu saiba a série de Miller se passa num futuro alternativo, com o Batman velho e o Robin é uma mulher. Parece com a trama do filme? Acho que não. Depois diz que o Batman encarna “o bem, a moral e os bons costumes”. Ahn? O Batman é o herói mais anti-herói que se tem na DC. O bem, ele até pode encarnar, mas a moral? Os bons costumes? Tsc, tsc.

  35. >No entanto, me parece que faz sentido o Batman ter uma voz diferente da do Bruce, até para não correr o risco de ser reconhecido, não é ?

    Isso é mais do que óbvio. Tem que ser bem idiota para não enxergar isso. E nem é preciso assistir nos extras do DVD para sacar isso. 😉

    >Mas talvez, realmente, isso pudesse ter sido melhor trabalhado.

    Exato. Esse é o problema que eu e o Chico tivemos com relação a isso no primeiro filme. A voz que o Bale faz é mais engraçada do que intimidadora.

  36. Só pra ficar claro: meu último comentário não foi resposta à mensagem do Wallace, mas ao comentário imediatamente anterior.

    Quanro à voz do Batman, o que eu acho é bem isso que o Caraça falou.

  37. simplesmente o poderoso chefao dos filmes de quadrinhos.
    Realmente incrivel.
    Assisti na estreia e vou assistir de novo. Como alguem que se diz fa de quadrinhos pode reclamar daquele filme…
    O roteirista pegou o piada mortal batman ano um e o cavaleiro das trevas, misturou tudo e criou as personalidades dos dois malfeitores, tudo em cima dos triangulos “amorosos”, rsrs , como o do bruce rachel e harvey, harvey gordon e batman e coringa batman e harvey…
    o coringa e sensacional, o que ele faz nos quadrinhos de piada mortal com o Gordon, tenta fazer esse convencimento com batman e com o harvey….
    simplesmente incrivel, claro. Um diretor que fez amnesia, tem q fazer coisa boa mesmo.

  38. vi batman e ele não me decepcionor em nada , o que raro, pq os filmes tem mais marketing do que estoria .os atores estão excelentes ,tem uma estória bem resolvida e as cenas de ação não tão sono.dizem q o coringa é engraçado, ele simplesmente hilário .já batman de bale está do jeito q imaginei sombrio e violênto

  39. Ledger primoroso. Gostei do duas caras, muito boa a performance, mas sem dúvidas o “herói” dessa seqüência não é o morcego, e sim o finado Ledger na pele do Joker.

  40. acabo de ver.

    gosto muitíssimo do Begins, mas esse realmente não consegui me decidir. Valeo pelo Heath, mas…

    ps: afffff, achei que era só eu que achava aquela voz do Batman tosca!

  41. Opa… quando critiquei e disse q vc tinha tinha birra… foi exatamente baseado no no q vc disse do bale. vc critica mais o filme por um inteiro em cima de um ator q vc nao gosta, desde quando um filme da marvel pode ser levado a serio, homen-aranha etc… ou ate mesmo o superman novo q fico pra de ruim e longe do q é o personagem… mas enfim o q vem ao caso é este filme do batman… o q vc espera de um filme do batman q nao tem neste?.. vc critica o batmovel maso o mesmo batmovel nos quadrinhos tem inumeras versoes… qual delas vc queria?… esse batmovel do filme é o mais proximo da realidade. um filme de super heroi q pode ser levado a serio filnemente depois do primeiro superman dos anos 70. o q vc espera de um filme do batman… o q pode ser feito melhor do q esta pelicula?… enfim ainda acho q a sua critica é totalmente infundada… principalmente por vc ser um “critico” ou bancar ser um… primeiro de tudo… seja insento… e imparcial… coisa q vc nao é… isso ja é suficiente para q sua critica nao seja levada a sério.

  42. Vou fazer mais uma defesa ao Bale. Acho as atuações dele muito boas, beirando a excelência. Sério. No Grande truque, por exemplo, eu matei uma das charadas nas primeiras cenas por conta da interpretação dele. Tá bom, considerando que ele seja canastrão, ele é um ator corajoso que não tem medo de personagem algum. Faz todo tipo de filme e dá conta do recado. Sinceramente, queria entender por que ele não é considerado um bom ator.

  43. Eu acho que o Christian Bale é o que melhor interpretou o Bruce e o Batman. Os outros ficam no chinelo. Ainda não assisti o filme, mas tenho acompanhado vários comentários. Eu acho que vou gostar, sou muito fã do Batman. E acho que o bale interpreta tão bem o Bruce/Batman que deveria “refilmar” todos os outros Filmes antes de Begin.
    Pronto falei!
    Chico adorei o Blog. Já está nos meus favoritos.
    bjosjávireifã

  44. é chico, parece que mesmo depois de assistir o filme o pessoal ainda quer comer suas viceras eihm….agora humildimente faso uso do “Why so serious??” (pra todos).

  45. Preciso defender o Chico aqui… dizendo – ao jadson pelo menos – que NÃO EXISTE crítica imparcial! Cinema é arte! E a Arte não pode ser totalmente “reduzida a um sistema racional estruturado”. Claro que existem categorias de avaliação: o roteiro, a atuação do atores, etc. Mas a opinião pessoal do crítico corresponde a metade da avaliação. Se não fosse assim, todas as críticas seriam iguais. Não é um coisa exatta…uma obra se arte pode ser uma coisa, mas o artista final que dá conta dela é aquele que a aprecia, e tudo que ele carrega dentro de si influencia a obra tanto quanto os pensamentos do próprio artista primário (no caso, o direto do filme).
    Então não no exaltemos, o Chico tem o direito de achar o que quiser.

  46. Segundo: finalmente vi o filme, hoje. E discordo do de você em muita coisa, Chico. Primeiro, o ponto principal da discussão: a atuação do Bale. Olha, eu não vi muitos filmes dele pra julgar, mas em Os Indomáveis, por exemplo, não gostei nada. Já nesse filme, achei muito boa a atuação. Não tenho nada contra a voz dele também. Não acho que seja ridículo, mas sim totalmente coerente com o Universo do Nolan. O Leandro Caraça disse que o filme é falsamente realista. Ok, tem coisas que forçam a barra, mas não chega a ser algo que nos retire totalmente do universo do filme. É a tal suspenção da descrença… achei mais forçado o Coringa colocar bombas na cidade inteira que as resoluções tecnológicas. (Tá aí um exemplo de como a crítica é parcial. Outra pessoa poderia ficar encucada com isso, mas pra mim tá ok, não acho que seja um ponto desabonador.)Quanto às cenas de ação, também as senti totalmente equilibradas no filme E essa questão de ser didático. Bom, o filme pretende alcançar o maior número possível de pessoas, e muitas não conhecem mesmo todo o background do Morcego. Como disse, achei tudo muito bem equilibrado dentro do filme… mas enfim. É isso.

  47. Chico, eu achei esse ai nada didatico, alias até meio confuso. O primeiro sim, Nolan martelava tudo. Diz ai onde que vc considera TDK didático?

  48. W, durante o filme inteiro, o Batman tem que ficar explicando que ele não é exatamente um herói, que herói é quem mostra a cara, que ele é mais tipo um vigilante… e isso todo mundo já tá careca de saber.

  49. >disse que o filme é falsamente realista.

    Mais no sentido de que o filme se propõe a levar a morcega a sério, mas acaba repetindo vários erros dos filmes anteriores. E já estou de saco cheio com filmes metidos que no final mostram o vilão com um plano louco de usar uma máquina para destruir a tudo e a todos. Tá certo, que isso é coisa de gibi, mas que não aparece em todos os gibis. Em compensação, isso aparece na maioria das adaptações para cinema. Coisa de roteirista preguiçoso.

    Para terminar a minha participação nesse tópico, quero dizer que gostei sim do novo filme. Não é perfeito, mas isso se deve a uns poucos furos de um roteiro ambicioso (e que este gênero estava a muito precisando) e não por causa que o Batman do filme é diferente do gibi. “O Cavaleiro das Trevas” é ótimo, apaga o gosto ruim do anterior e merece cada centavo que arrecadar.

    >o Batman tem que ficar explicando que ele não é exatamente um herói, que herói é quem mostra a cara, que ele é mais tipo um vigilante

    Mas todo filme de herói tem essas coisas. Os discursos intermináveis dos X-Men, as choradeiras do Peter Parker, o dramalhão psicológico do Bruce Banner do Ang Lee, o ‘sou um cramulhão mas tenho muito amor para dar’ do Hellboy. São coisas que realmente enchem o saco e são facilmente confundidas como uma forma de dar profundidade a personagens ‘unidimensionais’.

  50. Não li todos os posts aqui, mas concordo com a critica…
    Detesto os filmes anteriores de Christopher Nolan Insonia e Amnésia são péssimos O Grande Truque é até bonzinho …tipo dá para assistir, é um bom filme mas nada que se caramba que obra prima..
    Acho que os Batmans são os melhores filmes dele.
    Agora tem muita coisa de Gênio que todo mundo queria nos filmes do Batman, mas tambem Chistoper Nolan consegue fazer seus filmes ficarem sem ninguem entender nada, ele consegue fazer uma obra de arte e ele mesmo a destrói em seguida, é assim que vejo essa nova franquia do Batman.
    Chistian Bale faz bem o Batman Guerreiro que dá porrada nos outros ele tá muito longe do Gênio que Batman é, e é isso que ta faltando, ele parece um boizinho revoltado do que um cara com severos problemas psicólogicos…
    Acho Crhistian Bale bom Ator mas nada de mais, agora ele não tem nada Haver com o Batman, concerteza pode aparecer alguem bem melhor um dia..
    Michael Keaton interpretou bem melhor o psicológico do Batman…
    Quer saber to de saco Cheio desses Baba ovo do Chistopher Nolan ,principalmente no Orkut….
    Os filme é bom mas falta muita excência do Batman ali, Heath Leadger, e o resto do elenco tão de parabéns com seus personagens…
    Agora até hoje eu to procurando o Batman, realmente é muito superestimado Chistian Bale, ator de uma “cara Só”…

  51. Acho que só não concordo com suas críticas quanto ao filme remeter a blockbusters porque acho que não remete. Mas concordo em praticamente todos os demais pontos. Achei o filme genial, mas nem tudo funciona. A voz ficou artificial demais mesmo. A atuação do Bale é de fato fraca. Mais uma vez o Batman é um personagem menor em seus próprios filmes (desta vez tem pelo menos dois maiores que ele: Harvey Dant e Coringa). Acho que não concordo muito com a crítica ao didatismo, que dessa vez foi bem menor que em Begins. Mas, no geral, acho que o mais estranho é o clima deveras sério que se deu à trama e proporcionou momentos incômodos quando do surgimento do personagem principal. Se este universo é tão sério, por que eles aceitam um homem vestido de morcego comandando investigações junto à polícia? Uma dosagem no roteiro que pendesse um pouco mais para o lúdico teria chegado no ponto.

  52. Oi, concordo em gênero, número e grau com vc, chico. Eu acho que eles desconstruiram o batman nesse filme. O batman tem, e nos não precisávamos desse filme para nos dizer, um lado sombrio que o leva a decisões questionáveis. A graça do batman é o seu lado anti-herói. Eles transformaram o batman em um herói nesse filme com toda a coisa de mentir sobre harvey e assumir a culpa yada yada yada. Ou seja, o coringa ganhou. Então depois do TDK o batman não vai mais fazer nada discutível como matar alguém? No fim, é um filme sobre um vilão com o batman nele. É um excelente filme de ação, mas os duros de matar também são. O Bale precisa aperfeiçoar o lado Bruce porque ele não parece confortável no papel. A voz computadorizada é ridícula e o batmóvel, não importa para mim as HQs, é feio demais. Eu achei que as atuações foram boas, com o heath arrasando como o coringa, enquanto o bale entregando bem o batman, mas com um bruce pobre. A transformação do harvey foi espetacular, sendo este o único personagem que teve desenvolvimento, já que o coringão era ninguém, apenas estando lá (e muito bem). A Rachel, enquanto personagem nem fedeu nem cheirou, tendo apenas um propósito para o filme (onde colocaram a rachel mais linha dura de begins?). Por fim, eles conseguiram criar algo que rivaliza com os dois absurdos do Bond 21: o surf na onda gigante e o avião pegando fogo. Era mesmo necessário invadir a china para ir buscar o tesoureiro (bad boys 2??)… Qual a importância para a história? E isso sem contar que o avião invadiu espaço aéreo podendo ser derrubado! É como o tal vaporizador do begins (como pode não evaporar os 80% de água no corpo humano?). Sai do cinema pensando agora eu entendo porque não tem Batman no título original.

  53. o Batman é fraco, e a voz é terrível. o Coringa de Heath Leadger vale o filme, independente de ser Batman ou o que quer que seja. É espetacular, definitivo, único e inesquecível. Um dos grandes personagens do cinema. Se a Academia não der o Oscar para ele, é a prova definitiva de que são meio bundões.

  54. Ai, ai…

    É tudo muito engraçado. Toda essa galera aí, se degladiando, tentando impor a opinião de cada um sobre a do outro.
    Claro, nem todo mundo. Tem muita gente com consciência, mesmo que não seja tão conscientemente assim, que o crítico hoje em dia é simplesmente um cara que emite a sua opinião sobre o trabalho de outros. A única diferença básica entre o crítico e as outras pessoas é que esse individuo é um profissional credenciado para fazer isso – pelo menos é o que se espera. Mas com tantas pessoas tendo acesso a internet hoje em dia, ficou muito fácil se tornar um crítico, uma vez que se torna muito mais fácil expressar a própria opinião. O que é algo muito bom diga-se de passagem.

    Muitas pessoas vivem reclamando que o crítico tem que ser um sujeito “imparcial”, que tem que observar o produto com os olhos de um profissional, não de um mero espectador. Ora, isso com certeza fazia muito sentido anos atrás, posso dizer até décadas atrás, quando a opinião do crítico era praticamente inabalável. A única forma de protestar-se quanto a ela era através da seção de cartas do periódico – ou jornal, o que quer que fosse – e ainda assim só apareceriam na dita seção se assim fosse desejado.

    Hoje em dia, esse blog, por exemplo, pode provar como as coisas mudaram muito. A crítica se tornou-se algo muito mais democrático. Assim, eu já presenciei alguns críticos que já referem a si próprios como parciais e opinativos. E isso é algo que eu aprecio muito num profissional como esses. O crítico deixou de ser o ditador de opiniões e passou a ser apenas uma referência, um profissional que está expressando sua opinião juntamente com seus conhecimentos sobre a área ao público, que como sempre, mas agora de forma mais aberta, pode concordar ou não.

    Assim, se o crítico deste blog disse que não achou “Batman – O Cavaleiro das Trevas” excepcional, o supra-sumo das adaptações de HQ’s etc e tal, é a opinião dele. E claro, é muito bem-vindo da parte dele – acredito – que alguém se manifeste contra essa opinião. O que é triste é o fato de pessoas não entenderem o propósito de uma “crítica” e responderem a ela como se tivessem sido ofendidas por tal.

    Se você não concorda com o que o fulando de tal disse, se expresse, ótimo, mas deixe claro que você respeita a opinião daquela pessoa, porque o objetivo de uma crítica não é confrontar o leitor, mas sim interagir com ele. Aceitar ou rejeitar uma critica é algo individual, expressar-se quanto a isso também.

    O próprio Chico deixou claro que ele estava expressando sua opinião. Eu li sua crítica sobre “O Menino de Pijamas Listrados” – curta e grossa diga-se de passagem – e li a crítica sobre a mesma obra anteriormente em outro site, só que desta vez favorável, muito favorável até. São duas opiniões distintas e válidas. Não posso me expressar quanto a elas porque não vi o filme, mas valeram por despertar minha curiosidade em assistí-lo. Seja qual for a impressão que o filme deixar em mim, não irá desqualificar nenhuma das críticas.

    Sou um grande fã de Quadrinhos e por mais que o filme diverja da fonte, é muito feliz em sua realização, especialmente no que diz respeito ao Coringa. O filme é um produto, a HQ é outro. Por isso que se chama adaptação.

    Acho que a armadura não funciona – melhorou um pouco nesta sequência -, a voz do Batman realmente me incomoda, o que já não acontece quanto ao Batmóvel e as cenas de ação do filme. Não sou um cara que esquenta a cabeça com coisas como essas. Se o filme foi péssimo ou alguém não concorda com minha opinião, tenho certeza de que isso não vai arruinar a minha vida.

    Sou acostumado a sair com meus amigos pra bares pra tomar uma cervejinha e discutir coisas como essas. Todos praticamente compartilhamos os mesmos gostos mas sempre divergimos nas opiniões. Pra nós o importante não é impor o ponto de vista de um sobre o outro mas apenas se expressar e isso nos ajuda a enriquecer de várias formas – menos monetariamente…

    E às vezes presenciamos cenas vergonhosas como dois senhores por volta de seus cinquenta anos que numa discussão que começara aparentemente amígavel sobre quem é melhor – o carioca ou o paulista – quase saem na porrada no final.

    Eu sou mineiro. E se o carioca e o paulista acham que são melhores que eu, parabéns. Não dou a mínima. Não nos vejo dessa forma, mas se eles não querem me ouvir é uma opção deles.

    Me desculpem se o papo pareceu meio chato, mas isso era algo que eu queria expressar há muito tempo. De tanto ler discussões por aí, principalmente no You Tube, essa vontade de me expressar quanto a essa mania do outro se incomodar tanto com a opinião do próximo, acabou tento esse resultado um tanto quanto irônico: me incomodei com a opinião dos outros.

    Pelo menos espero que sirva para algum bem.

  55. eu gosto muito de filmes e gostaria de participar de seus filmes sou renei moro em nova santa helena mais por favor chama eu para participar desses filmes ai voces podem vim aqui me buscar para ir com voces que eu nem sei onde fica o lugares de voses mais se acasopode de outra coisa me liga no numero {66}35231178 me chamem para participar desses filmes que eu até sonhava em participar de filmes

  56. Nossa Chico, dessa vez eu não concordo inteiramente com vc, só quando vc elogia o filme. Achei o Bale competente como Batman, as cenas de ação incríveis, a galera saiu do cinema extasiada. Acho que foi o primeiro crítico a botar tanto defeito (onde aliás, não tem) no Cavaleiro das Trevas. Assista o filme novamente!

  57. Hi there just wanted to give you a quick heads up. The words in your article seem to be running off the screen in Firefox. I’m not sure if this is a formatting issue or something to do with web browser compatibility but I thought I’d post to let you know. The design look great though! Hope you get the problem resolved soon. Kudos

  58. The other day, while I was at work, my sister stole my apple ipad and tested to see if it can survive a 40 foot drop, just so she can be a youtube sensation. My iPad is now destroyed and she has 83 views. I know this is completely off topic but I had to share it with someone!

  59. With Google just obtaining smarter and smarter in determining synthetic one way links, creating linkable property feels for being extra very important in the world today. Several hyperlink suppliers will modify their types or they may vanish and be innefective. Now thinking about the scalable aspect… indeed I concur this is certainly in fact scalable that means after some time… inbound links to those property just seem to be to proceed to improve, obviously. Now checking out this like a scalable course of action from an company perspective with many customers and growing with time. There feels to become no correct asset to get that performs for all consumers. There is certainly some exploration and there is certainly some function to build the asset. And also to scale this with all the much more clientele you receive, seems such as you just must hold including a lot more individuals to have factors completed.

  60. Never disregard that he runs on the internet shops far too! So even though you do not need to go in and pick-up the things it is possible to obtain on the net and also have it sent… do not neglect the set up support for many who won’t be able to be bothered to study the guidelines after which screw every thing up whilst creating it… or perhaps the nearby handyman will fortunately fee you a top quality to place it together

  61. Today, I went to the beach front with my children. I found a sea shell and gave it to my 4 year old daughter and said “You can hear the ocean if you put this to your ear.” She put the shell to her ear and screamed. There was a hermit crab inside and it pinched her ear. She never wants to go back! LoL I know this is entirely off topic but I had to tell someone!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *