Bróder é um filme de altos e baixos, mas quando acerta ele é brilhante. O diretor Jeferson De conta uma história de amizade na favela sem trejeitos e maneirismos. Acerta em cheio em praticamente todas as cenas em que os amigos estão juntos. Tanto nos diálogos quanto no desenvolvimento. O cineasta, que estreia na direção, faz um trabalho excelente com o elenco. Caio Blat prova que pode ser uma grande ator quando tem um papel bem escrito e é bem dirigido. Silvio Guindane e, para minha surpresa, Jonathan Haagensen também estão ótimos.

Jeferson De constrói o cenário da vida na favela da maneira mais trivial possível, deixando a criminalidade em segundo plano. A trama policial, por sinal, é totalmente desinteressante, o ponto fraco do longa, mas ela não tira os méritos de um filme simples e direto sobre amigos que se reencontram e escolhas decididas há muito tempo. E viva Cássia Kiss, que se livra do fantasma de suas últimas aparições caricatas e devora suas cenas.

Bróder EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Bróder, Jeferson De, 2010

]

Comentários

comentários

Um pensamento sobre “Bróder”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *