Categoria: Mostras

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 11

Um Caminho para Dois  [Two for the Road, Stanley Donen, 1967] Um Caminho para Dois, de certa forma, resume os anos 60, trazendo para o seio de Hollywood uma visão libertária do amor, das relações e do casamento. A máscara é de comédia maluquinha, mas o filme abre um debate profundo sobre assuntos muito sérios. Audrey […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 10

Aliança do Crime [Black Mass, Scott Cooper, 2015] Aliança do Crime é tão artificial quanto a maquiagem incômoda que Johnny Depp carrega durante todo o filme. Falta a Scott Cooper a grandiosidade que um Coppola consegue emprestar a sua obra ou a intimidade com que Scorsese investiga os laços entre os mafiosos. Depois de mais […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 9

Os Campos Voltarão [Torneranno i Prati, Ermanno Olmi, 2014] Um soldado canta do alto de uma trincheira. Sua voz poderosa, que cruza os campos num raro momento de paz no front, ganha elogios de seus inimigos, que pedem mais uma. É assim, com este absurdo de guerra, que Ermanno Olmi inicia seu novo filme, que […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 8

Sabor da Vida  [An, Naomi Kawase, 2015] Sob praticamente todos os prismas, Sabor da Vida é um filme mais convencional do que o anterior de Naomi Kawase, O Segredo das Águas, em que a cineasta japonesa retomava um cinema narrativo ficcional que havia abandonado em troca de documentários e filmes mais experimentais. Mas se o […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 7

A Jovem Rainha [The Girl King, Mika Kaurismaki, 2015] O finlandês Mika Kaurismaki morou no Brasil durante muito tempo, conhece bem a língua portuguesa e reclamou da tradução da Mostra para um de seus novos filmes, A Jovem Rainha, em que biografa a polêmica e extravagante Kristina, da Suécia. No original, o longa se chama […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 6

Campo Grande  [Campo Grande, Sandra Kogut, 2015] Há oito anos, numa Mostra de Cinema como esta aqui, a cineasta Sandra Kogut estreava na ficção com uma arriscada e acertada adaptação de Guimarães Rosa. Miguilim, um dos contos de Campo Geral, se transformou em Mutum, uma obra delicadíssima sobre a brutalidade do sertão para com quem […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 5

Um Dia Quente de Verão [Gu ling jie shao nian sha ren shi jian, Edward Yang, 1991] Assistir a obra-prima de Edward Yang no cinema é uma das experiências máximas que um apaixonado por filme pode ter na vida. O diretor, que morreu prematuramente aos 50 anos, transformou a história real de um crime num […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 4

Boi Neon ½ [Boi Neon, Gabriel Mascaro, 2015] Num bate-papo pós-sessão, Gabriel Mascaro disse que um dos fundamentos do filme era criar expectativas para depois quebrá-las. Embora talvez esse não deve ser um objetivo, mas uma consequência, está nessa frustração de expectativas um dos maiores trunfos de Boi Neon, segunda ficção propriamente dita de Gabriel Mascaro. […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 3

A Terra e a Sombra [La Tierra y la Sombra, César Augusto Acevedo, 2015] Existem pelo menos dois cinemas muito tentadores na América Latina: o cinema do exotismo, que explora a curiosidade do cotidiano de comunidades específicas, ainda isoladas ou simplesmente desconhecidas de boa parte do mundo, e o cinema social, que denuncia situações de […]

Share

Mostra SP 2015: meu diário de bordo – post 2

Dheepan [Dheepan, Jacques Audiard, 2015] O mais interessante em Dheepan é a proposta de formar uma família com pessoas que não se conhecem. Homem, mulher e filha que nunca haviam se visto, mas que são forçados a fingir que são parentes para escapar de um Sri Lanka em guerra. O filme de Jacques Audiard realmente […]

Share