O Guerreiro Silencioso

Valhalla Rising engana fácil. Tem clima de grande épico, mas é um filme fantasmagórico. A trama parecia girar em torno de um guerreiro viking, se transforma numa Cruzada e, numa metamorfose insinuada lentamente, vira numa jornada sem rumo. O diretor Nicolas Winding Refn criou um projeto arriscado: um épico praticamente sem batalhas, quase mudo, com personagens vagando sem direção. O resultado deve frustar a maioria que pode se interessar pelo filme pela ação que não existe ou pela mitologia nórdica que mal é citada, mas me pareceu instigante.

O filme, anti-climático, é a mais radical desromantização das Cruzadas que eu vi no cinema. Nada que lembre de longe aquela tentativa rasa de criar um filme político-religioso sobre o assunto, como fez Ridley Scott. Aqui, o diretor trabalha muito mais numa arena existencialista e leva seus personagens com ele. A violência existe. Na maior parte das cenas em que há violência, ela é brutal – e muito bem filmada. Mas são poucos esses momentos. O filme, no geral, é um exercício de contemplação. Quase não há ação.

Uma sequência, na virada da primeira hora do filme, é o melhor exemplo para como todos os personagens estão completamente perdidos num lugar sem nome. Chega a ser angustiante. Mas talvez o mais impressionante seja a construção visual de Valhalla Rising. A fotografia, mesmo cheia de filtros, coisa que eu costumo não gostar, é uma obra-prima na criação de quadros. Há pelo menos uns quinze momentos de beleza sublime em que a tela parece pintada. Mas todos eles servem ao roteiro; são fundamentais para a criar a ambientação do filme. Um filme sobre a busca incessante por um sentido.

O Guerreiro Silencioso EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Valhalla Rising, Nicolas Winding Refn, 2009]

Comentários

comentários

28 comentários sobre “O Guerreiro Silencioso”

  1. Filme tenso e com cenas angustiantes – nada é definido ou definitivo, coisa que o público comum, acostumado à receber comida na boquinha, detesta… – boa experiencia de filme

  2. Interessante, é o cristianismo correndo mundo, em 1000dc entre os vikings… todos procurando o sentido da vida, os personagens olham muito paro céu ,esperando por sinais..

  3. A crise existencial e a busca por um sentido nas coisas é gritante. um garoto diz q o personagem principal veio do inferno, e pessoas maiores e capazes acreditam nesse absurdo, às vezes a religião deixa as pessoas burras e cegas (o filme passa essa indireta nessa cena). imaginem uma época de transição do mundo nórdico pagão para cristão, onde tudo era explicado através do mítico e ai vem uma nova religião q muda totalmente a forma de pensar das pessoas. o espanto. o filme mostra q todos os personagens estão perdidos, não só fisicamente, pois de fato estão, mas estão num vazio existencial, quando estão enclausurados no barco sem direção (estão perdidos) eles tentam explicar tal situação através de um viés religioso, kkkkk, é lindo, eles acham q a criança os conduzirá para o inferno!! o personagem principal é pagão, e a cicatriz no olho é claramente uma alusão ao deus Odin (Odin sacrifica o próprio olho p ganhar sabedoria), isso tudo é muito simbólico, a figura de dois corvos voando em uma parte do filme também é simbolismo, kkkkk, não me peçam p dizer q parte é essa, vejam de novo seus putos! mas é outra simbologia com o deus Odin e é símbolo de sabedoria. Depois dessa parte vem a epifania!! os cristãos q supostamente teriam a resposta certa p tudo até então, não acham resposta p onde ir e passam a seguir o pagão!! isso mesmo, na cena em q eles resolvem seguir o pagão subindo a encosta, é lindo, pq o jogo se inverte, afinal quem do filme é mais sábio? Odin seu puto!! e a sabedoria Cristã? eles seguem um surdo, “incapacidade relativa”, e o grande Climax vem no final, quando a selvageria prevalece, procuro simbolismo nisso, aqueles seres tem cultura mais atrasada, usam instrumentos em pedra lascada, interessante, tenho q assistir pela segunda vez. rapaz esse filme é foda, se puderem assistam com mais calma. ei pessoal eu conheci esse filme através de uma música da banda tyr, esse é o link: https://www.youtube.com/watch?v=e7paakmhnBI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *