Oscar 2016: como fica a corrida depois do SAG?

A premiação do Screen Actors Guild, o SAG, foi a última parada antes do Oscar para os candidatos às categorias de atuação. Então, pode-se dizer que Leonardo DiCaprio, de O Regresso, e Brie Larson, de O Quarto de Jack já estão com seus prêmios garantidos. Na conta dos dois, os troféus das duas principais associações de críticos, o Globo de Ouro e o Critics Choice, e, agora, o reconhecimento dos atores, que formam o maior grupo de votantes na Academia. Pessoalmente, não considero nenhum dos dois os melhores do ano, sequer os melhores em suas categorias, mas são trabalhos dignos.

DiCaprio ainda tem uma vantagem: é um dos grandes atores de sua geração e o fato de nunca ter ganho um Oscar gera comoção faz tempo. “Esse é o ano dele?” foi a pergunta que qualquer cinéfilo teve que responder neste ano. Pelo visto é. Se alguém fosse atrapalhar, teria que ter aparecido no SAG. Não deu Bryan Cranston. Não deu Fassbender. Agora não tem muito mais chance de dar outra coisa. Premiá-lo também é uma maneira de reconhecer O Regresso, filme de que a Academia gostou bastante (foi o mais indicado), sem ter que dar um segundo prêmio consecutivo para Alejandro G. Iñarritu, que ganhou no ano passado por Birdman.

O nome de Brie Larson não tem nem metade do peso de DiCaprio, mas se formou um consenso em torno do nome dela. Como Cate Blanchett é meio café-com-leite por já ter dois prêmios do SAG e dois Oscars, um deles bem recente, e ainda dividir o protagonismo com Rooney Mara (mesmo ela tendo sido indicada em outra categoria), a disputa parecia ter ficado entre as novatas Brie Larson e Saoirse Ronan. Mas O Quarto de Jack mostrou bem mais força do que Brooklyn ao longo da temporada (embora o filme estrelado por Saoirse seja melhor). O SAG coloca uma pedra no assunto. Se Brie perder, vai ser quase um escândalo.

Se DiCaprio e Brie são favoritos absolutos, Alicia Vikander pode sofrer com o histórico da categoria. Muitas vencedoras-surpresa já levaram o prêmio de atriz coadjuvante. Kim Basinger, Marcia Gay Harden e Tilda Swinton não eram favoritas nos anos em que venceram. E Alicia é uma novata estrangeira num filme que não caiu tanto nas graças dos prêmios. No entanto, ela parece mesmo ser a melhor aposta por A Garota Dinamarquesa. Ganhou dois prêmios indicadores (Critics Choice e SAG) e concorria como melhor atriz no Globo de Ouro, ou seja, estava fora da disputa. Mas o mais importante: não tem adversárias tão fortes.

Kate Winslet é muito querida pela Academia, mas, mesmo com um Globo de Ouro, já tem um Oscar e está num filme rejeitado (Steve Jobs). Jennifer Jason Leigh é mais experiente, mas seu filme, Os Oito Odiados, e seu papel não tem nada o perfil das premiadas. Rooney Mara fica à sombra de Cate Blanchett em Carol e Rachel McAdams, de Spotlight, deu sorte de aparecer na lista. Então, parece que vamos de Vikander mesmo, nem que seja por eliminação. Ela tem um papel sério, é uma atriz que chama atenção pela beleza além do talento e está sendo considerada a “revelação do ano”. Foram cinco filmes só em 2015!

A treta mesmo vai ser em ator coadjuvante. Apenas dois dos indicados pelo SAG marcaram presença na lista do Oscar e o vencedor não foi um deles. Idris Elba, que ganhou dois prêmios na noite (um por Beasts of No Nation e outro pela minissérie Luther), no que parece ser um recado claro do sindicato dos atores para o #OscarSoWhite, fica por aqui. Pela lógica, Christian Bale, de A Grande Aposta, e Mark Rylance, de Ponte de Espiões, são os frontrunners, mas há um fator chamado Sylvester Stallone. Por Creed, em que vive o papel da sua vida, Rocky Balboa pela sétima vez, ele ganhou o Globo de Ouro e o Critics Choice.

Uma vitória no Oscar causaria uma comoção geral e certamente geraria um dos momentos pra entrar na história da Academia. Além disso, seria uma forma de premiar um ator de um dos filmes negros do ano. Um ator branco, é bem verdade. Mas é o que temos pra hoje. Bale e Rylance ainda podem surpreender, sobretudo se A Grande Aposta ganhar como melhor filme, no caso do primeiro. Mas a maré favorável pro filme de Adam McKay ganhou um percalço grande. O prêmio de melhor elenco dado pelo SAG, indicativo para a categoria principal do Oscar, foi para Spotlight, atualmente o maior rival de A Grande Aposta na disputa pela estatueta da Academia. Como tem um tema mais sério, o filme de Tom McCarthy pode ser uma “aposta” mais certeira.

Comentários

comentários

28 thoughts on “Oscar 2016: como fica a corrida depois do SAG?”

      1. Acho difícil o Dicaprio não levar o prêmio,assim como a Brie também devido o contexto do filme que ambos fizeram.O filme O REGRESSO basicamente é Dicaprio,quando eu li vários comentários sobre o filme a maioria positivos,muitos reclamavam que o filme era cansativo.O filme se centra quase todo na sobrevivência e vingança do personagem do Dicaprio,já o filme da Brie basicamente ela divide mais da metade do filme com o uma criança de 5 anos,então fica difícil concorrer com filmes centrados em um personagem.

      2. Concordo com o Chico: Charlize Theron está um arraso em Mad Max, provando que filme de ação também pode vir com recheio de grandes atuações.

      3. Fassbender?! Não, admiro ele, mas para mim ele é o pior indicado e quem menos merece vencer, quem rouba o filme é Kate Winslet. Não Chico definitivamente não. É igual quando você disse que um de seus posts, que a atuação de Cate Blanchett como atriz coadjuvante em O Aviador era uma das melhores da história do Oscar, quase tive um infarto, amo Cate Blanchet, mas aquele Oscar não dá para engolir até hoje, atuação caricata, quem deveria vencer era Natalie Portman, Katherine Hepburn deve está se debatendo do túmulo.

  1. Acho que mlehor filme deveria ir para Mad Max, foi de longe o melhor filme do ano… George Miller fez um trabalho Extraordinário, de encher os olhos e com uma mensagem muito em alta, PODER FEMININO… 😉

  2. As bolsas de apostam já apontavam Sylvester Stallone como favorito ao Oscar mesmo sem a indicação ao SAG, algo inédito até então, com a vitória de Idris Elba no SAG praticamente selou a vitória de Stallone. E Idris tem boas chances de vencer no BAFTA tb, tem uma carreira maravilhosa e é britânico.

  3. Muito boas as suas colocações, realmente elas fazem total sentido agora. Só queria zoar mesmo por colocares que aquele filme sessão da tarde “Brooklyn” seria melhor que “O quarto de Jack”, gosto e amores blablabla, mas aquelas imagens estranhamente editadas do navio alá os dez mandamentos não tem condições, nem deveria concorrer ao oscar… a falta de orçamento ficou explicita e a falta de criatividade do diretor em alterar a situação mais ainda.

  4. Chico, o mais legal é que ator coadjuvante é a primeira ou segunda categoria apresentada na noite do Oscar. Como os outros prêmios são praticamente “barbadas”, vou dormir cedo. Minha torcida vai pra Sly nessa categoria. E acho que a audiência estará alta só na primeira parte da premiação – pela torcida mundial ao Sly. Quais foram as melhores atuações para você no ano de 2015? Diretor que é a “grande aposta”. Acho que vai pra George Miller. Spotlight ganhará como melhor filme.

  5. Concordo com o seu texto, Di Caprio é barbada, apesar de ator coadjuvante está mto forte, pelo apelo Stallone ganha, atriz acho que dá o que vc falou msmo, Brie Larson e Alicia Vikander. Filme acho que ganha A Grande Aposta, e Diretor acho que leva o George Miller.
    Pra mim esse Oscar teve uma grande injustiça, que foi a não indicação da Charlize Teron, que como vc tbm acho que foi a melhor atriz do ano.

  6. Acho que deve dar isso mesmo Chico. Stallone como melhor ator coadjuvante é meio forçado pra quem entende o minimo de atuação, mas fazer o que, será o prêmio mais politico da noite. Jennifer Jason Leigh está ótima em seu filme, mas esse foi o Tarantino mais rejeitado nos meios, e é um filme bem chato de se assistir. Acho que dá Spotlight, um filme muito bem feito, com elenco brilhante feito a moda antiga. A Grande Aposta é bem arrojado na sua mistura narrativa, mas seu estilo pode ser incômodo. Agora é esperar O Regresso e ver se tem méritos alem de seu protagonista. Acho que diretor leva George Miller e o Oscar fica mega pulverizado.

  7. Melhor ator : Leonardo DiCaprio (Critic’s choice, Globo de Ouro e SAG)
    Melhor atriz : Brie Larson (mesmos prêmios de DiCaprio)
    Melhor ator coadjuvante : Sylvester Stallone (Critic’s choice , Globo de Ouro). Não concorreu ao SAG (ganho por Idris Elba, que não foi indicado aos Oscar)
    Melhor atriz coadjuvante : Alicia Vikander (Critic’s choice e SAG)

    Uma correcão : Kim Basinger era a favorita no ano em que levou um Oscar injusto por LA Confidential (havia faturado o Globo de Ouro e o SAG.

  8. Concordo que Leonardo DiCaprio não foi o melhor do ano. Eu votaria em Michael Fassbender ou em Eddie Redmayne. Mas “é o ano dele”, como você disse. Entre as atrizes, Cate Blanchett deu um show, mas Brie Larson realmente foi a melhor do ano.

    Sylvester Stallone com certeza não foi o melhor; eu votaria em Christian Bale (só porque Idris Elba não foi indicado). Alicia Vikander vai ganhar, mas eu preferia Kate Winslet.

  9. Segundo meus cálculos, se Spotlight levar o Oscar de Melhor Filme, será a primeira vez em décadas que um filme conseguirá esse feito com apenas 2 estatuetas… Porque não prevejo outro prêmio além de Roteiro e Filme. Direção está pra Iñaritu (com folga merecida!), atriz/ator coadjuvante poderão ser qualquer um, menos a insossa da McAdams e o Ruffalo (que já fez atuações bem melhores), sem contar que edição deve ir pra O Regresso OU A Grande Aposta… Acho que vai dar O Regresso mesmo para as categorias principais. Não deveria; o filme do ano é A Grande Aposta!

  10. Interessante seu comentário: “Rachel McAdams deu sorte de aparecer na lista”. Seguindo esta linha de raciocínio, você também deu sorte de ter um Blog sobre cinema aqui no UOL. Afinal existem muitos outros críticos de cinema…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *