Searching for Sugar Man

Quanto menos se souber sobre Procurando Sugar Man e Sixto Rodriguez, melhor. O documentário que ganhou o Oscar neste ano é construído com artifícios característicos de filmes ficcionais. Instrumentos narrativos que o diretor sueco Malik Bendjelloul sabe aproveitar com propriedade. Seu longa, sua estreia como cineasta, é um exercício de construção de personagem. Um filme que ganha a forma de uma deliciosa caçada pelo fascinante universo em torno de seu protagonista. Um filme que sabe distribuir em pequenas porções as informações sobre sua vida.

Tudo o que se precisa saber sobre Rodriguez, até para despertar o interesse pelo longa, é que o músico, no início dos anos 70, lançou dois discos repletos de melodias folk e letras de forte cunho político – no melhor estilo de Bob Dylan -, mas passou completamente despercebido por crítica e, principalmente, pelo público. O documentário remonta esta história, tentando resgatar um dos maiores talentos da música engajada da época, descobrindo que, no ocaso, o compositor teria protagonizado uma das mortes mais bizarras da história do rock’n’roll.

O filme cruza o Atlântico para mostrar que, ironia do destino, apesar do completo anonimato de Rodriguez nos Estados Unidos, o homem virou uma lenda em outro país, em outro continente, em outra realidade. A pequena obra do homem se transformou talvez na principal voz da resistência num lugar conhecido pela segregação entre brancos e negros. Um lugar – e uma realidade – que ele nunca conheceu. Aliás…

Ao recuperar a história de Rodriguez, Bendjelloul parece lançar um debate, ou pelo menos algumas anotações, sobre como o rock se ergue sobre lendas e mitos. A própria opção por adotar um esquema narrativo ficcional para o documentário conversa com o objeto. No rock’n’roll, a mística em torno de alguns personagens cumpre tanto o papel de verdade quanto os fatos literalmente reais na biografia dos grandes ídolos. No caso de Procurando Sugar Man, fica claro que esta prática não se restringe apenas aos “grandes”, nem aos ídolos. Ainda bem.

Procurando Sugar Man EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Searching for Sugar Man, Malik Bendjelloul, 2012]

Comentários

comentários

2 thoughts on “Procurando Sugar Man”

  1. Chico, seu site é muito bom. É delicioso ler seus textos a respeito de qualquer filme, mesmo os que não vi, só pela beleza do seu texto. E é melhor ainda quando concordamos com a qualidade do filme, como este aqui, Searching for Sugar Man. Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *