O novo filme de Alexander Payne foi recebido de braços abertos pela crítica e pela indústria, com indicações ao Oscar em cinco categorias – inclusive nas três principais (filme, direção e roteiro). Sideways, cujo subtítulo brasileiro é deprimente, é, entre altos e baixos, um bom filme, mas sofre um pouco com sua pretensão cool. Payne tenta, a todo custo, manter a aura indie do filme, com uma história pequena de personagens que surgem pelo meio do caminho.

As Confissões de Schmidt, o longa anterior do diretor, era bem mais sensível e bruto. Jack Nicholson estava naquele que talvez seja seu melhor papel. Aqui ele dá lugar a Paul Giamatti, sempre bom ator, mas preso a um roteiro quase esquemático. A princípio, parece um exemplo típico do filme independente norte-americano que faz mais pose de que tem algo a dizer. Mas isso muda e Alexander Payne, mais uma vez, reflete sobre a solidão e a significação.

Desta vez, é o drama de um professor de inglês que nunca conseguiu que um livro seu fosse publicado e vive sonhando com a ex enquanto degusta vinhos, seu esporte favorito. O filme de Payne se dedica a explorar a solidão dos vinhedos e transporta a falta de horizontes geográficos (às vezes em tom celebrativo da miséria pessoal, quase auto-indulgente) para a vida do personagem, que busca sentido para sua falta de sentido.

Mas o sucesso se deve em boa parte aos belos desempenhos do elenco. O protagonista – que estava melhor em Anti-Herói Americano – divide os louros com Thomas Haden Church, que não deve ter tido problemas em fazer um grandão imbecil, mas isso não tira seus méritos. No entanto, a rainha do filme é Virginia Madsen, velha, linda e boa atriz. De uma beleza que merece bem mais que elogios porque é justamente nela que está a essência do filme.

Sideways – Entre umas e Outras EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha½
[Sideways, Alexander Payne, 2004]
, Rob Trow, Marylouise Burke, Jessica Hecht.
Fotografia: Phedon Papamichael. Montagem: Kevin Tent. Direção de Arte: Jane Ann Stewart. Música: Rolfe Kent. Figurinos: Wendy Chuck. Produção: Michael London. Site Oficial: www.foxsearchlight.com/sideways..

rodapé:

Vinte e seis dias sem folga. Nenhuma. Depois da maratona, estou de folga, pronto pra me jogar nos cinemas. Nesse tempo, ganhei uma coluna semanal. sobre cinema no portal da TV onde eu trabalho.

nas picapes: Maria Caipirinha, de Carlinhos Brown.

Comentários

comentários

6 comentários sobre “Sideways”

  1. What i don’t realize is in truth how you are no longer really much more well-appreciated than you may be right now. You’re very intelligent. You understand therefore considerably in the case of this topic, produced me in my view consider it from so many varied angles. Its like men and women aren’t involved unless it’s one thing to accomplish with Girl gaga! Your personal stuffs excellent. All the time deal with it up!

  2. Im no professional, but I imagine you just made an excellent point. You naturally fully understand what youre speaking about, and I can seriously get behind that. Thanks for staying so upfront and so straightforward.

  3. I saw lots of website yet I conceive this one contains one thing special inside it. The ideal effect of fine people is thought after we now have left their particular presence. by Ron Waldo Emerson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *