Top 20 anos 2000: filmes brasileiros

Essa lista inaugura uma série de Top 20s que estou preparando como retrospectiva para os anos 2000. Numa década onde o cinema brasileiro se recuperou definitivamente, muitos filmes tiveram que ficar de fora. Na lista, nada de Tropa de Elite, Meu Nome Não é Johnny ou 2 Filhos de Francisco. Os meus melhores estão aqui.

Andrea Tonacci

20 Serras da Desordem
Andrea Tonacci, 2006

O retorno de Andrea Tonacci ao cinema ganha a forma de documentário ficcionalizado que tem em seu protagonista adorável sua maior força.

Walter Salles Daniela Thomas

19 Linha de Passe
Walter Salles e Daniela Thomas, 2008

Walter Salles se recupera de tropeços e projetos ambiciosos que ficaram na promessa com um filme simples sobre os laços que unem uma mãe e quatro irmãos.

Beto Brant

18 O Invasor
Beto Brant, 2002

Beto Brant promove o encontro entre o cinema urbano brasileiro e o policial contemporâneo num filme que revela um grande ator: Paulo Miklos.

Karim Ainouz

17 Madame Satã
Karim Aïnouz, 2002

A estreia de Karim Aïnouz recupera, com uma fotografia brilhante, um personagem único e revela outro ator de primeira grandeza: Lázaro Ramos.

Sandra Kogut

16 Mutum
Sandra Kogut, 2007

Guimarães Rosa, um autor de difícil adaptação, ganhou tradução delicadíssima nas mãos de Sandra Kogut e um protagonista-mirim impressionante.

Domingos Oliveira

15 Juventude
Domingos Oliveira, 2008

Domingos Oliveira reúne os amigos para repassar a vida e homenagear a própria amizade em seu melhor filme em muito tempo.

Rogerio Sganzerla

14 O Signo do Caos
Rogério Sganzerla, 2005

O mestre maior do filme marginal brasileiro em seu réquiem, homenageando sua própria história e seu próprio cinema.

Cao Hamburger

13 O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias
Cao Hamburger, 2006

A Ditadura Militar vista pelos olhos de uma criança. Cao Hamburger troca o ranço pelo carinho e acerta em cheio na composição de uma época e de um turbilhão de sentimentos.

Julio Bressane

12 Filme de Amor
Julio Bressane, 2004

Júlio Bressane consegue dialogar com o sublime e faz seus personagens voarem para longe de prisões formais em busca de algo além. É a criação que brota do caos.

Joao Jardim

11 Pro Dia Nascer Feliz
João Jardim, 2007

Um painel sobre o sistema educacional brasileiro, sim, mas mais do que isso uma investigação sobre o jovem que este país forma pelos mais variados prismas.

Fernando Meirelles Katia Lund

10 Cidade de Deus
Fernando Meirelles (co-dir. Kátia Lund), 2002

O filme mais famoso da história recente é a promessa de um cinema industrial de primeira qualidade, um exemplo na formação de atores e o projeto mais ambicioso já feito por estas bandas.

Marcelo Gomes

9 Cinema, Aspirina e Urubus
Marcelo Gomes, 2005

Marcelo Gomes explora o Sertão com graça invejável, sem nunca espetacularizá-las. Fazia tempo que o cinema brasileiro não contava tão bem e de maneira tão simples uma história

Paulo Sacramento

8 O Prisioneiro da Grade de Ferro
Paulo Sacramento, 2004

A câmera entregue aos detentos não pode ser completamente franca, sem cálculo, mas o naturalismo com que os narradores conduzem o filme é a força do documentário.

Jose Eduardo Belmonte

7 Se Nada Mais Der Certo
José Eduardo Belmonte, 2008

Ao diretor não interessa investigar a perda de parâmetros dos personagens. As motivações estão claras – sustentar a família e a si mesmos. Tudo muito prático, mas nunca simplista.

Joao Moreira Salles

6 Entreatos
João Moreira Salles, 2004

O político mais popular da história recente destes país visto em close-up no momento em que está prestes a passar de eterna promessa a governante.

Beto Brant e Renato Ciasca

5 Cão Sem Dono
Beto Brant e Renato Ciasca, 2007

Os fatos pouco interessam aos diretores Beto Brant e Renato Ciasca. O foco é como o homem lida com suas limitações e com sua inevitável transformação aos moldes do mundo.

Luiz Fernando Carvalho

4 Lavoura Arcaica
Luiz Fernando Carvalho, 2001

Um livro infilmável e o maior artista da TV brasileira em sua incursão única no cinema, traduzindo-o e explorando suas estranhezas com um lirismo raro.

Joao Moreira Salles

3 Santiago
João Moreira Salles, 2007

O que encanta é a habilidade de promover linguagem, de reordenar a memória, de construir a partir da desconstrução. Ou este filme é genial ou seu autor é um golpista admirável.

Edurado Coutinho

2 Jogo de Cena
Eduardo Coutinho, 2007

O grande documentarista deixa de lado sua cômoda fórmula de cinema para investigar os caminhos da representação e questionar a verdade e a mentira.

Karim Ainouz

1 O Céu de Suely
Karim Aïnouz, 2006

No melhor filme brasileiro dos anos 2000, Karim Aïnouz mostra o Brasil conectado com o cinema contemporâneo, seja nas imagens etéreas seja nos questionamentos da protagonista, uma mulher em busca do seu lugar.

menções honrosas:

Onde a Terra Acaba (2001), de Sérgio Machado; Loki – Arnaldo Baptista (2008), Paulo Henrique Fonetenelle; Person (2005), de Marina Person; No Meu Lugar (2009), de Eduardo Valente; Estamira (2006), de Marcos Prado; Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo (2009), de Karim Aïnouz e Marcelo Gomes; A Concepção (2005), de José Eduardo Belmonte; Redentor (2004), Cláudio Torres; Houve uma Vez Dois Verões (2002), de Jorge Furtado; e Babilônia 2000 (2001), de Eduardo Coutinho.

E como listas são sempre polêmicas, que tal você deixar a sua, hein?

Comentários

comentários

70 comentários sobre “Top 20 anos 2000: filmes brasileiros”

  1. Sempre que alguém me perguntava qual meu filme nacional preferido a resposta era rápida e sem pestanejar: “Um filme chamado O céu de Suely”. As pessoas questionavam: ” é o quê? E Tropa de Elite, maluco? Não viu Carandiru não, é?

    Enfim, essas coisas de se pautar por bilheteira ou qualquer outro paradigma faz com que nossas opiniões fiquem limitadas. Cinema não é isso. Quando alguém faz um filme ele joga pro universo um turbilhão de emoções passíveis de serem captadas por qualquer um. Alguns vão recebê-las com mais intensidade e outros não.

    Esse filme, O Céu de Suely, não sei porque, mas me fez sentir uma pessoa melhor.

  2. Aliás, lembrei de um que achei lindo: Deserto Feliz, tb com a Hermilda, que todos amam por aqui..hehe (mas num papel coadjuvante)

  3. Oi, Chico! Adorei a lista.. e as respostas…seria bom um Mutantes comentando teu blog mesmo, hein?..heheh…Senti falta de Cidade Baixa também…e no meu gosto pessoal Lavoura Arcaica seria o 1o da lista…Que fotografia! Mas, enfim, gostos pessoais! Que tal mais listas? Uma por década…sempre tem um que a gente esquece de ver, né? Dae acabamos trocando figurinhas…lendo a tua lista e os comentários, fui lembrando de tantos outros…isso é que é bom!
    Abração
    😉

  4. OI chico, gostei muito da seleção. Há muitos que não conheço e vou assistir com certeza. Para mim, só falta bicho de sete cabeças, adoro! parabéns pelo site.

  5. Engraçado, o que eu mais gostei da sua lista é o que as pessoas estão mais reclamando… A falta do modismo!

    O melhor de listas assim é poder achar novos filmes que você não conhece e refletir sobre eles.

    Vou ver os que tenho na minha coleção e os que não tiver baixarei.

    Obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *