O velho rebelde ensina o jovem almofadinha o que há de bom na vida. Você, definitivamente, já viu esse filme, leu esse livro, ouvi essa música. Zorba, o Grego é um filme clichê. Mas um clichê bem realizado e que marcou época. Anthony Quinn empresta uma liberdade plena tão atraente a seu Zorba, que cativa o espectador mais exigente. Alan Bates e Irene Papas são bons coadjuvantes e o que mais impressiona são algumas cenas de rua, extremamente coreografadas, que lembram teatro independente. A fotografia e a música são atrações à parte. Lila Kedrova tem momentos magistrais como Bouboulina, a puta velha que quer casar. Às vezes, nos remete a Gelsomina de Giulietta Masina. Mas seu personagem é tomado pelo único clichê que não se resolve no filme: o da coitadinha.

Zorba, o Grego EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Zorba The Greek, Michael Cacoyannis, 1964]

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *