Tag: 2017

Olhar de Cinema 2017

Foi meu segundo ano no Olhar de Cinema, em Curitiba, e o festival já me parece um dos mais interessantes realizados no Brasil, sem dever nada ao que se promove no Eixo Rio-São Paulo. Entre os principais destaques desta edição, estava uma mostra realmente espetacular dedicada ao alemão F.W. Murnau, que sob a curadoria de […]

Antes Que Eu Vá

Como retorcer os clichês dos filmes teen e criar o pensamento crítico a partir de uma reflexão sobre bullying no ambiente escolar? Como despertar uma discussão honesta sobre algo tão banal quanto “fazer o que é certo”? Como fazer tudo isso tudo sem abandonar as regras, a narrativa e a dramaturgia geralmente simples de filmes para […]

Mulher-Maravilha

O Superman de Richard Donner prometia: “Você vai acreditar que um homem pode voar”. Era a marca, o conceito e a pretensão do filme. Naquela época, as coisas eram bem mais simples. O namoro entre as histórias em quadrinhos e o cinema dava seus primeiros passos e estabelecer universos estendidos era um sonho que só […]

War Machine

War Machine, produção original da Netflix, não é exatamente um filme ruim, mas tem tantos desacertos que o conjunto fica quase que completamente desinteressante. A aposta na caricatura faz Brad Pitt desperdiçar seu talento mais natural como ator, a comédia. O que funcionou perfeitamente em Bastardos Inglórios e Queime Depois de Ler, aqui parece apenas falta de noção. David […]

Real – O Plano por Trás da História

O Brasil pós-PT é um terreno fértil para semear ideias. Mas a desilusão com a esquerda não tem provocado necessariamente um reencantamento por velhos caciques. A população, pelo contrário, parece buscar nomes de “fora do mercado”, que representem ou pareçam representar novas fórmulas, que indiquem algum tipo de reformulação, um universo de possibilidades, de Marinas […]

Corra!

Corra! é um filme surpreendente em vários aspectos. Primeiro: para um longa de estreia, é um trabalho que se arrisca. Jordan Peele dribla o cânone do terror ao fazer um comentário político profundo sobre a sociedade americana. Segundo: para um filme de gênero, é prazeroso ver como ele retrabalha elementos clássicos e os enche de […]

Joaquim

Joaquim — ou “Tiradentes Origens” — é uma bela maneira de reconstruir a imagem de um ícone. Mais do que isso: é um filme sobre transformação, uma metamorfose lenta e gradativa, sem que essa mudança seja promovida por um agente externo muito evidente, como a religião ou um trauma. A cena inicial, com a cabeça […]

Cinquenta Tons Mais Escuros

O olhar cansado geralmente nos guia para uma visão simplista das coisas. O mais correto talvez fosse fazer como os protagonistas de Cinquenta Tons Mais Escuros: despir-se não apenas de suas roupas íntimas no meio de um restaurante, mas principalmente de suas certezas. Assim, sabe-se lá, pode surgir um “grande” filme sobre o amor. Se […]