Berberian Sound Studio

Berberian Sound Studio

O som é um elemento fundamental no cinema do britânico Peter Strickland para quem os filmes são intensas experiências sensoriais. Katalin Varga, seu primeiro longa-metragem, é a jornada de terror da personagem-título pelo interior da Romênia. Uma jornada que se torna fantasmagórica graças a um maciço trabalho sonoro. Com um interesse tão evidente, não é de se estranhar que o diretor tenha escolhido um estúdio de som como cenário – e elemento narrativo primordial – para seu novo filme, Berberian Sound Studio, uma homenagem ao giallo, o gênero que mistura crime e suspense que se popularizou a partir da década de 70 pelas mãos de cineastas como Dario Argento.

Toby Jones interpreta Gilderoy, um técnico de som inglês, contratado para fazer a sonoplastia de The Equestrian Vortex, um longa de terror na Itália. À medida em que o personagem começa a se envolver com a produção, monitorando várias sessões de dublagem e participando da criação de efeitos sonoros, Strickland transforma sua experiência de estar num país desconhecido em que se fala uma língua que ele também desconhece num outro filme de terror que opera, sobretudo, no psicológico do protagonista. A violência que permeia o filme, quando existe, é verbal, mas a atmosfera instalada pelo cineasta é de pavor, acentuada pelo caráter onírico de algumas cenas, que fazem o espectador questionar o que existe de concreto na história que é contada.

O clima claustrofóbico começa com o tratamento do diretor de produção para com as atrizes, na base da tortura psicológica, e se instala por todo lugar, transformando o cenário, o estúdio, numa espécie de prisão para o protagonista. Gilderoy entra em conflito consigo mesmo, num momento em que o filme começa a namorar com alguns elementos do cinema de David Lynch. A trilha sonora composta pelo grupo Broadcast parece inspirada nas que o Goblin fazia para os longas de Argento e serve para sedimentar a atmosfera. Em meio a tudo isso, Strickland faz uma belíssima homenagem ao trabalho dos técnicos de som, dedicando boa parte do filme a seus truques e técnicas na hora de compor o projeto sonoro de um filme. E Toby Jones está excelente sob todos os aspectos.

Berberian Sound Studio EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Berberian Sound Studio, Peter Strickland, 2012]

Comentários

comentários

Um pensamento sobre “Berberian Sound Studio”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *