Andy Lau, Maggie Cheung

O domingo não prometia nada. A ida à locadora, que há tempos não fazia parte da minha vida, foi para tentar reassistir o melhor filme do ano passado, O Céu de Suely (Karim Aïnouz, 2006), mas as poucas cópias já haviam sido locadas. Foi então que uma olhada rápida nas prateleiras de lançamentos me levou para um tal de Conflito Mortal, filme estrelado por Andy Lau e Maggie Cheung. Como tem um monte de coisas orientais interessantes chegando em DVD, peguei o filme e vi que se tratava do primeiro longa de Wong Kar-Wai, As Tear Goes By, em mais um caso de tradutor que merece a forca.

O filme, de 1988, tem uma estrutura conflituosa, entre o filme de ação, com cenas bastante violentas e montagem com todos os maneirismos do gênero, muita câmera lenta e som alto nas perseguições, e o drama, com o protagonista dividido entre o destino e o amor. Desse confronto temático, surge um ensaio do cinema de um dos diretores mais interessantes surgidos nos últimos tempos. Em certa medida, o filme antecipa tanto a narrativa urbana de filmes como Amores Expressos e Anjos Caídos quanto os que formam a trilogia encerrada com 2046.

Dos primeiros, há a grande cidade e os personagens que sobrevivem – e que são reféns – daquele ambiente urbano. Dos seguintes, o filme antecipa uma série de características do cinema de Kar-Wai, como os protagonistas tentando reformular suas vidas, a consciência da solidão e a busca por um papel no mundo. O filme, que já anuncia o namoro do diretor com os enquadramentos menos tradicionais – o que se consolidaria logo depois com o começo de sua pareceria com Christopher Doyle – também é a matriz para estabelecer a relação de Kar-Wai com a música.

Numa seqüência longa, caminhando a centímetros do kitsch, o cineasta usa de um ícone da música pop, “Take My Breath Away”, do Berlin, numa versão, acredite, em chinês, para emoldurar o reencontro dos personagens, filmado como um clipe romântico dos anos 80. O resultado é sublime. Tanto no envolvimento que a cena provoca, transformando a dupla em seres comuns, populares, da esquina, quanto na maneira como Kar-Wai se apropria da linguagem para ilustrar aquele trecho da história.

Conflito Mortal EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Wong Gok ka Moon/As Tear Goes By, Wong Kar-Wai, 1988]

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *