Turistas

Ben Wheatley gosta de temas macabros. Seu filme anterior, Kill List, recebeu prêmios e elogios pela história original de um assassino que se envolve numa trama misteriosa com desdobramentos ritualísticos. O filme foi saudado como uma renovação do terror inglês. Em Turistas, o cineasta abre o foco e, sem deixar de passear pelo gênero, inclui também a comédia no cardápio. O longa conta a história de Tina, uma mulher dos seus trinta e poucos anos que ainda vive com a mãe manipuladora e que vê em Chris, com quem começa a namorar, a oportunidade de fugir de uma relação sufocante. Os dois partem numa jornada por pontos turísticos da Inglaterra. A viagem ganha contornos bizarros à medida em que outros personagens surgem no caminho do casal.

O grande problema de Turistas é como o filme se desvia da trama principal para se tornar uma grande e repetitiva piada em cima de seus protagonistas. Com um cenário como o interior inglês, rico em sua variedade de personagens de comportamento estranho, como o cinema já mostrou algumas vezes, Wheatley parece bem mais interessado em elencar as bizarrices do casal principal e ridicularizá-lo do que em que desenvolver seus perfis e escavar suas intimidades.

Tina e Chris são personagens ricos em seus distúrbios particulares, mas a chance de explorar suas perturbações escapa das mãos do diretor, que dá um acabamento visual interessante ao filme, mas perde o controle da história. O humor negro surge no filme pontuando algumas cenas, mas a comédia cresce a ponto de não dar espaço para mais nada. Os personagens parecem sufocados pela vontade do cineasta de brincar. E, em boa parte do filme, esses brincadeiras não são tão engraçadas. Talvez Wheatley seja melhor com imagens do que com texto.

Turistas EstrelinhaEstrelinha½
[Sightseers, Ben Wheatley, 2012]

Comentários

comentários

2 thoughts on “Turistas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *