A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou hoje os indicados ao Oscar. A grande mudança do ano foi uma lista com 9 indicados a melhor filme (pelas novas regras, o número de finalistas nesta categoria poderia variar de 5 a 10). Hugo, de Martin Scorsese, tem o maior número de indicações, 11, seguido pelo filme mudo, O Artista, com 10. Ambos fazem homenagem aos primeiros anos do cinema.


Jean Dujardin
filme

O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Árvore da Vida EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinha
Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Histórias Cruzadas Estrelinha
O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Tão Forte e Tão Perto EstrelinhaEstrelinha

Com 9 indicados em melhor filme, é difícil dizer que alguém ficou de fora, mas em vez da picaretagem Tão Forte e Tão Perto, que passou quase virgem pela temporada de precursores, a lista poderia ter O Espião que Sabia Demais, Tudo pelo Poder ou Os Homens que Não Amavam as Mulheres. Querer Drive, quase completamente ignorado entre os indicados, era demais. Aposto em O Artista.

Martin Scorses
direção

Alexander Payne, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Martin Scorsese, A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Michel Hazanavicius, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Terrence Malick, A Árvore da Vida EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Woody Allen, Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Na categoria de direção, a presença de Terrence Malick era a menos esperada, mas mesmo assim muita gente apostava em sua indicação. David Fincher, de Os Homens que Não Amavam as Mulheres, é a ausência mais sentida entre os que mais tinham chances. Nicolas Winding Refn, de Drive, seria um golpe de mestre. Steven Spielberg não teve fôlego pra chegar aqui. Aposto em Michel Hazanavicius.

George Clooney
ator

Brad Pitt, O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Demián Bichir, A Better Life
Gary Oldman, O Espião que Sabia Demais EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
George Clooney, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jean Dujardin, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

A grande surpresa, claro, foi Demián Bichir, que já tinha conseguido uma indicação do SAG e repetiu o feito aqui. Mas esta surpresa custou a vaga de Michael Fassbender, por Shame, uma grande interpretação, ignorada. Leonardo Di Caprio, mesmo com indicações ao SAG e ao Globo de Ouro, sofreu com a recepção fraca a J. Edgar e não é finalista. A boa notícia é que Gary Oldman, que vinha sendo ignorado pela crítica, mas ganhou um grande força com o Bafta, conseguiu entrar na lista. Infelizmente, Ryan Gosling chegou à reta final com votos divididos, Drive e Tudo pelo Poder, e sem fortes precursores. Aposto em George Clooney.

Meryl Streep
atriz

Glenn Close, Albert Nobbs
Meryl Streep, A Dama de Ferro
Michelle Williams, Sete Dias com Marilyn EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Rooney Mara, Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Viola Davis, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Esta categoria parecia fechada, mas só quatro das favoritas entraram. Rooney Mara é uma bela indicação surpresa, mas custou a vaga de Tilda Swinton. E o Oscar perdeu a chance de apostar no novo, ignorando Elisabeth Olsen de Martha Marcy May Marlene. Aposto em Meryl Streep.

Christopher Plummer
ator coadjuvante

Christopher Plummer, Toda Forma de Amor EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jonah Hill, O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Kenneth Branagh, Sete Dias com Marilyn EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Max Von Sydow, Tão Forte e Tão Perto EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Nick Nolte, Guerreiro

Aqui, a grande ausência foi Albert Brooks em Drive, embora a performance não tenha me animado. Ele começou a corrida super prestigiado, mas falhou no SAG. Abriu espaço para o papel Oscar bait de Max Von Sydow em Tão Forte e Tão Perto, que não é tão ruim quanto O Leitor, mas é um belo de um engana-trouxa. Ainda bem que não forçaram a barra para indicar Armie Hammer em J. Edgar. Aposto em Christopher Plummer.

Jessica Chastain
atriz coadjuvante

Bérénice Bejo, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jessica Chastain, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Janet McTeer, Albert Nobbs
Melissa McCarthy, Missão Madrinha de Casamento EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Octavia Spencer, Histórias Cruzadas EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Aqui não tinha como fugir. Seis atrizes chegaram fortes ao final da corrida. Uma teria que sair. No caso, foi a novata Shailene Woodley quem saiu perdendo. Janet McTeer se beneficiou daquela ideia que o Oscar tem de que indicar “duplas” é muito bom, além de ser uma atriz respeitada e já indicada, e a popularidade de Melissa McCarthy na TV ppesou mais. Carey Mulligan, muito bem em Shame, e Vanessa Redgrave, em Coriolanus, foram as outras esnobadas. Aposto, infelizmente, na interpretação-fórmula de Octaviua Spencer.

Woody Allen, Owen Wilson, Marion Cotillard
roteiro original

Annie Mumolo e Kristen Wiig, Missão Madrinha de Casamento EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Asghar Farhadi, A Separação EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
J.C. Chandor, Margin Call EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Michel Hazanavicius, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Woody Allen, Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

Apostei numa indicação surpresa de Margin Call e deu certo. Por conta disso, O Abrigo, Win Win e 50/50 ficaram de fora. É ótimo ver A Separação na lista. O prêmio deve ficar entre Hazanavicius e Woody Allen, tendência para o último.

Gary Oldman
roteiro adaptado

Alexander Payne, Nat Faxon, Jim Rash, Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Bridget O’Connor, Peter Straughan, O Espião que Sabia Demais EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
George Clooney, Grant Heslov, Beau Willimon, Tudo Pelo Poder EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
John Logan, A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Aaron Sorkin, Stan Chervin e Steven Zaillian, O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

A esnobada no fraquíssimo Histórias Cruzadas abriu espaço para a única e merecida indicação para Tudo pelo Poder. Os Descendentes deve vencer aqui sem problemas.

filme estrangeiro

Bullhead EstrelinhaEstrelinha (Bélgica)
Footnote (Israel)
In Darkness (Polônia)
Monsieur Lazhar (Canadá)
A Separação EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha (Irã)

animação

Um Gato em Paris
Chico & Rita
Kung Fu Panda 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Gato de Botas EstrelinhaEstrelinha
Rango EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

fotografia

Emmanuel Lubezki, A Árvore da Vida EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Guillaume Schiffman, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Janusz Kaminski, Cavalo de Guerra
Jeff Cronenweth, Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Robert Richardson, Hugo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

montagem

O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Descendentes EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinha

direção de arte

O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Meia-Noite em Paris EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

figurino

Anônimo
O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Jane Eyre
W.E.

maquiagem

Albert Nobbs
A Dama de Ferro
Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

trilha sonora

Alberto Iglesias, O Espião que Sabia Demais EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Howard Shore, Hugo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
John Williams, Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
John Williams, As Aventuras de Tintim EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Ludovic Bource, O Artista EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

canção

“Man or Muppet”, Os Muppets EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
“Real in Rio”, Rio EstrelinhaEstrelinha

mixagem de som

Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
O Homem que Mudou o Jogo EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Transformers: Do Outro Lado da Lua EstrelinhaEstrelinha

edição de som

Cavalo de Guerra EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Drive EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Os Homens que Não Amavam as Mulheres EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Transformers: Do Outro Lado da Lua EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha

efeitos visuais

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 2 EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
A Invenção de Hugo Cabret EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Gigantes de Aço EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Planeta dos Macacos: A Origem EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Transformers: Do Outro lado da Lua EstrelinhaEstrelinha

documentário

Hell and Back Again
If a Tree Falls: A Story of the Earth Liberation Front
Paradise Lost 3: Purgatory
Pina EstrelinhaEstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
Undefeated

documentário em curta-metragem

The Barber of Birmingham: Foot Soldier of the Civil Rights Movement
God is the Bigger Elvis
Incident in New Baghdad
Saving Face
The Tsunami and the Cherry Blossom

curta-metragem de animação

Dimanche
The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore
La Luna
A Morning Stroll
Wild Life

curta-metragem de ação

Pentecost
Raju
The Shore
Time Freak
Tuba Atlantic

Comentários

comentários

Um pensamento sobre “Oscar 2012: os indicados”

  1. Achei incompreensível e inexplicável a esnonaba em “As Aventuras de Tintim” na categoria de melhor animação.
    Só pode ser preconceito dos votantes com a captura de movimentos, embora, fora isso, o filme seja todo animação.
    Ou talvez porque, como era previsto, esta animação do Spielberg não emplacou no EUA.
    “Tintim”, o filme, não é unanimidade nem de crítica nem de público, mas só pela ousadia de Spielberg e Jackson de trazerem à Hollywood um herói tão europeu quanto Tintim, e pelas belíssimas imagens que se pintam na tela, pra mim, já merecia o Oscar.
    Um estranho revés na história de Spielberg com a Academia.

    Como só assiti “Meia Noite em Paris” dos indicados pra melhor filme, posso dizer que é belíssimo, encantador mesmo, como raras vezes tenho visto, mas suas chances são mínimas. Se levar uma estatueta só, já tá no lucro.

    Não vi este “Tão Forte e Tão Perto’, mas pelo tema e pelo trailer, me parece uma arrancada da ala conservadora da Academia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *