+ Velozes + Furiosos

Imagine que você adora carros e não deixa escapar a chance de se exibir para as garotas. Participa de rachas em máquinas altamente sofisticadas, com designs arrojados, cores metálicas e neon no piso. Tudo muito descompromissado, curtindo o que há de bom nessa vida. Adrenalina, sexo, diversão. Velozes e Furiosos (01) é assim. A celebração da falta de cérebro e da intenção em se ter um. O filme é tão competente em sua exacerbação de demência que fez muitos milhões de dólares no mundo inteiro e ainda rendeu o Schwarzenegger contemporâneo, Vin Diesel, à condição de astro.

Como um é pouco, não demorou muito para que sua continuação chegasse aos cinemas. Mais Velozes Mais Furiosos (03) se arrisca por um caminho diferente do primeiro longa: tenta contar uma história. Enquanto no filme original, o que importava era como os descerebrados se relacionavam e o quão rápido eles poderiam correr, aqui o co-astro Paul Walker precisa fazer um servicinho para a polícia para limpar sua ficha. Com uma idéia como esta, dificilmente a produção escaparia do destino que cumpre com tanta obstinação: ser um filme ruim.

Sem Vin Diesel – nem ele foi convencido pelo roteiro – Mais Velozes Mais Furiosos aposta nas cenas de perseguição pelas ruas de Miami (ou do que usaram para as locações). Os diálogos são perfeitos para este tipo de filme: curtos (para não fazer pensar muito), sem palavras muito difíceis (porque dicionário passa longe do espectador disso aqui) e cheio de frases conhecidas e de rápida assimilação, como “yeah”, depois de uma corrida bem sucedida. O mais surpreendente é o que diretor por trás disto tudo seja John Singleton, cineasta de Boyz N’The Hood (91), o principal herdeiro de Spike Lee na temática racial. Mas deve ser assim mesmo. Está cada vez mais fácil celebrar a estupidez.

Mais Velozes Mais Furiosos
2 Fast 2 Furious, EUA, 2003
Direção: John Singleton
Elenco: Paul Walker, Tyrese, Eva Mendes, Cole Hauser, Ludacris, Thom Barry, James Remar, Devon Aoki, Amaury Nolasco, Michael Ealy, Jim Auyeung,
Roteiro: Michael Brandt e Derek Haas, baseados nos personagens Gary Scott Thompson. Produção: Neal H. Moritz. Fotografia: Matthew F. Leonetti. Direção de Arte: Keith Brian Burns. Edição: Bruce Cannon e Dallas Puett. Música: David Arnold. Figurinos: Sanja Milkovic Hays.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *