Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Esta é a quarta vez que eu escrevo sobre um filme do Harry Potter neste blogue. Confesso que gosto (ou mais ou menos) de todos eles, mas, embora eu ainda ache Harry Potter e o Cálice de Fogo o mais fraco destes quatro filmes comentados, confesso que saí um pouco decepcionado do cinema. O novo Harry Potter e o Enigma do Príncipe perde principalmente quando comparado ao longa anterior, que marcava a estreia de David Yates no comando da série.

Yates foi o diretor que melhor entendeu o universo de J.K.K. Rowlins. Foi ele quem melhor mesclou o respeito à mitologia e o desenvolvimento dos personagens com a habilidade de seduzir o espectador com os avanços cronológicos da história e com cenas filmadas excepcionalmente. Harry Potter e a Ordem da Fênix é, de longe, o filme mais bem dirigido da série. O único que verdadeiramente produziu encantamento. Não é um filme de ação, pelo contrário, tem um ritmo bem mais tranquilo, mas suas sequências mais, digamos, animadas são de tirar o fôlego (em especial aquela que abre o filme).

No novo longa, Yates opta pela elaboração do cotidiano dos personagens, com pouquíssimo material novo acrescido à mitologia. O Enigma do Príncipe parece mesmo apenas ter a função de ponte entre A Ordem da Fênix e os filmes-gêmeos baseados no último livro da série. Trinta minutos já dariam conta de fazer essa transição. No entanto, mesmo significando pouco para a cronologia, o filme tem um trunfo que o faz valer a pena: David Yates. O diretor conduz a trama com a mesma mão do filme anterior, embora sem a mesma excelência. Isso deixa o material mais encorpado.

Sem muito o que fazer, o cineasta mira num mistério sem grandes consequências, que lança dúvidas sobre alguns personagens, e gera algumas das melhores cenas do filme. Cenas filmadas com a competência habitual de Yates para o visual que ajudam a estabelecer a tensão de que a história carece. Mesmo as cenas de humor, ganham um contorno simples e afetivo, provavelmente por causa da intimidade de Yates com os personagens – ele é o primeiro diretor que comanda dois filmes da série desde Columbus.

O roteiro também centra fogo nos momentos mais cotidianos que remetem aos primeiros filmes, mas que, de quebra, elaboram a aproximação entre os casais e ajudam a transformar Hogwarts numa high school. É como se, já que não pode antecipar o que realmente importa, Yates resolvesse deixar os personagem mais desenvolvido para o desafio final. Mas, curiosamente, essa opção não vem acompanhada por grandes interpretações. O melhor no filme é Alan Rickman, com um humor pontual, mas seu personagem ganha pouquíssimo espaço na tela.

Estranhamente, embora este filme pareça dar mais tempo para trabalhar os personagens, o sub-aproveitamento aqui parece ainda mais grave que nos últimos filmes. Os personagens como o da professora Minerva, Hagrid, Bellatrix Lestrange e Draco Malfoy, este bastante importante para a trama, são mal aproveitados. Até Ronny e Hermione, que praticamente dividiam as cenas mais importantes com Harry nos últimos filmes, ficaram para trás, só ganhando destaque em momentos cômicos. Mesmo assim o filme sai no positivo. Talvez porque David Yates sabe bem como embalar um filme, talvez porque embora nunca seja memorável, Harry Potter e o Enigma do Príncipe é um aperitivo irresistível.

Um top para a série:

1 Harry Potter e a Ordem da Fênix (2007)
2 Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban (2004)
3 Harry Potter e o Enigma do Príncipe (2009)
4 Harry Potter e o Cálice de Fogo (2005)
5 Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001)
6 Harry Potter e a Câmera Secreta (2002)

Harry Potter e o Enigma do Príncipe EstrelinhaEstrelinhaEstrelinha
[Harry Potter and the Half-Blood Prince, David Yates, 2009]

Comentários

comentários

43 comentários sobre “Harry Potter e o Enigma do Príncipe”

  1. Para quem quiser saber, o enterro de Dumbledore foi deixado para a 1ª parte do 7º filme, com razões como: no enterro, são mencionados vários personagens de toda a saga, e, como a maioria desses personagens já vão aparecer no 7º, eles aprovetaram para fazer a cena do enterro com eles. Outro fator é que, assim como no começo de O Enigma do Príncipe há um flashback de Harry e Dumbledore no ministério, no 7º também haverá o “flashback” do enterro de Dumbledore… Quanto à batalha do 6º filme, o diretor preferiu deixar só o último filme com a GRANDE batalha, para que não virasse uma “rotina” de no final de cada filme haver uma batalha/morte ou tragédia…

    Muitos estão falando que esse filme ficou mais para o público jovem, por causa das cenas de romance. Isto acontece porque o livro em si é muito parado, dramático e o mais triste da série. Para não ficar um completo drama, o romance foi destacado…

  2. Esse filme me deixou com medo de ver Harry Potter e as Reliquias da Morte. Talvez eu tenha achado a adaptação ruim porque gosto muito dos livros, mas na minha opinião, esse foi o mais vazio dos Hp’s. Poderia ter se gastado mais tempo e dinheiro adaptando relamente o livro para os cinemas do que na tentativa de criar algo um tanto novo. eu particulamente não gosto da direção do Yates………..Desde a Ordem da Feniz pra mim os filmes do Harry deixaram de ser os filmes do Harry criado por J.K passaram so a ser um filme teen. Eu acho que o Yates só soube fazer um dos três protagonista continuar a manter a essencia de seu personagem: Hermione. O Rony durante OdF e OEdP fica com cara de abobalhado. O Harry como o bom menino inocente, coisa que ele não é tanto assim pelo menos em OdF, além dos inumeros furos que o diretor deixou, a falta de algumas cenas cruciais para o enredo, pois ali´´as é uma série e o sexto é a base do sétimo……mas o filme já passou e eu não sei porque estou comentado aqui afinal. Só resta esperar que os próximos sejam mais Harry Potter e menos high school.

  3. Esse filme me deixou com medo de ver Haary Potter e as Reliquias da Morte. Talvez eu tenha achado a adaptação ruim porque gosto muito dos livros, mas na minha opinião, esse foi o mais vazio dos Hp’s. Poderia ter se gastado mais tempo e dinheiro adaptando relamente o livro para os cinemas do que na tentativa de criar algo um tanto novo. eu particulamente não gosto da direção do Yates………..Desde a Ordem da Feniz pra mimi os filmes do Harry deixaram de ser os filmes do Harry criado por Je passaram so a ser um filme teen. Eu acho que o Yates só soube fazer um dos três protagonista continuar a manter a essencia de seu personagem: Hermione. O Rony durante OdF e OEdP fica com cara de abobalhado. O Harry como o bom menino inocente, coisa que ele não é tanto assim pelo menos em OdF……mas o filme já passou e eu não sei porque estou comentado aqui afinal. Só resta esperar que os próximos sejam mais Harry Potter e menos high school

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *