CASSETA E PLANETA EM A TAÇA DO MUNDO É NOSSA

Não. Eu nunca fui muito fã.

Claro que já dei umas boas risadas.

É, preferia o TV Pirata.

Acho, às vezes eles exageram na baixaria.

Sim, gostei do filme.

É bom deixar claro que Casseta e Planeta – A Taça do Mundo é Nossa não se escora na fórmula do programa de TV: uma piada depois da outra. O filme procura contar uma história (a do roubo da taça Jules Rimet), o que já é grande coisa no mundo da comédia. As piadas surgem naturalmente no texto, que muitas vezes consegue ser bem engraçado. O humor é o de sempre, nem um pouco refinado, mas com tiradas interessantes e algumas vezes até bem inteligentes. A ponta de Woody Allen, a e o debate depois do filme são momentos hilários. No resto, algum riso e muita alegria no salão. Ver a turma em película dá literalmente um novo tom às desventuras do grupo. Vê-los todos numa mesma história traz uma lembrança agradável à memória: os Trapalhões. O cartaz do filme, com todos os humoristas em versão quadrinhos, parece homenagem aos quatro reis das bilheterias brasileiras. E, querendo ou não, o Casseta e Planeta é uma espécie de versão atual do quarteto. Versão atual que faz humor negro e de duplo sentido em pleno horário nobre da rede de TV mais tradicional do país. É esse sarcasmo, misturado com uma certa ingenuidade da época da militância política nos anos 70, que faz o filme acertar seu alvo. Bussunda, perfeito na caracterização do revolucionário Wladimir Illitch Stalin Tse Tung Guevara, e Marcelo Madureira, como a mulher do general, são os destaques do elenco de mais uma produção das Organizações Tabajara. Se A Taça do Mundo é Nossa vira facilmente memória distante depois que o espectador sai do cinema, rende umas boas risadas até chegar lá.

Casseta e Planeta – A Taça do Mundo é Nossa
Casseta e Planeta – A Taça do Mundo é Nossa, Brasil, 2003.
Direção: Lula Buarque de Hollanda.
Elenco: Bussunda, Hélio de la Peña, Hubert, Reinaldo, Beto Silva, Cláudio Manoel, Marcelo Madureira, Maria Paula, Carlos Alberto Torres, Jairzinho, Deborah Secco, Toni Tornado.
Roteiro: Bussunda, Hélio de la Peña, Hubert, Reinaldo, Beto Silva, Cláudio Manoel, Marcelo Madureira. Produção: Leonardo Monteiro de Barros, Manfredo Barreto Garmatter, Lula Buarque de Hollanda e Breno Silveira. Música: André Moraes. Fotografia: Adriano Goldman. Edição: Sérgio Mekler. Direção de Arte: Gualter Pupo. Figurinos: Cláudia Kopke.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *