Gasolina adulterada

Lindsay Lohan é muito fofinha e tudo mais, mas nem o sorrisão da ruivinha salvou a “reimaginação”, palavra de ordem em Hollywood, do fusquinha vivo Herbie da falta de idéias. O roteiro que tem assinatura de gente famosa, com a dulpa Alfred Gough e Miles Millar (autores da história de Homem-Aranha 2, 2004), sofre de ausência de vontade de existir. Não há sombra do charme do filme original (nem de suas seqüências). Por sinal, o conceito todo do Herbie parece não caber no século XXI, pelo menos agora: a inocência da “personagem” soa completamente deslocada hoje em dia, o que diminui imensamente a idade do público-alvo do filme. Essa prisão nostálgica do filme, somada a uma direção sem expressão, a um roteiro francamente ruim – com texto muito ruim – e ao desperdício de atores como Michael Keaton e Matt Dillon, pouco inspirados em papéis pouco inspirados, nada sobra além da vontade (pequena) de rever Se Meu Fusca Falasse (Robert Stevenson, 1968).

HERBIE: MEU FUSCA TURBINADO
Herby: Fully Loaded, Estados Unidos, 2005.
Direção: Angela Robinson.
Roteiro: Thomas Lennon, Ben Garant, Alfred Gough e Miles Millar, baseado em estória de Thomas Lennon, Mark Perez e Ben Garant e nos personagens criados por Gordon Buford.
Elenco: Lindsay Lohan, Michael Keaton, Matt Dillon, Breckin Meyer, Justin Long, Cheryl Hines, Jimmi Simpson, Jill Ritchie, Thomas Lennon, Jeremy Roberts, Peter Pasco, Mario Larraza, Patrick Cranshaw, Scoot McNairy.
Fotografia: Greg Gardiner e Daniel C. Gold. Montagem: Wendy Greene Bricmont e Edward A. Warschilka. Direção de Arte: Daniel Bradford. Música: Mark Mothersbaugh. Figurinos: Frank Helmer. Produção: Robert Simonds. Site Oficial: Herbie: Meu Fusca Turbinado. Duração: 101 min.

nas picapes: Motorway To Roswell, Pixies.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *