Tag: Cannes

Azul é a Cor Mais Quente

Abdellatif Kechiche é um cineasta com um talento inerente para capturar o comportamento humano. Seus longos planos e seus close ups invadem a intimidade dos personagens, revelando-os para além da câmera. O espectador de seus filmes é convidado a dividir a vida daquelas pessoas, pactuando com cada um de seus movimentos, decisões e motivações. Azul […]

Drive

A trilha sonora de Drive, uma música eletrônica retrô assinada por Cliff Martinez, é essencial para compor a atmosfera do filme: estamos num espaço de intersecção, uma área de encontros de referências, um estado de pastiche de gêneros cinematográficos assumido, levado ao extremo. Não há compromisso do diretor com realismo ou relativismo. Nicolas Winding Refn […]

Melancolia

Lars Von Trier é um cineasta acomodado. Parece dependente da polêmica. Se seu filme não tem um material que desperte amor ou ódio extremos, ele dá um jeito de arrumar confusão, defendendo Hitler e sendo expulso do maior festival de cinema do planeta. O prêmio de melhor atriz em Cannes para Kirsten Dunst pareceu fruto […]

Rosetta

O cinema dos irmãos Dardenne parece ser o cinema sobre o embate entre o homem e o inevitável. Em O Filho (2002), o inevitável surgia na impossível relação desenhada entre o homem, o habitué Olivier Gourmet, e o garoto. O desfecho daquele filme, mesmo que a história queira nos propor o acaso, parecia cristalizar um certo […]

O Pianista

Provocação, ousadia, atrito. Roman Polanski construiu sua carreira e ganhou respeito porque sua filmografia foge do lugar comum através de narrativas inovadoras e temáticas originais. É assim no místico e macabro O Bebê de Rosemary (68) ou em O Inquilino (76) ou no noir reciclado de Chinatown (74). Sua marca aparece até na comédia A Dança […]