Minha lista de piores do ano sempre passa por filmes pretensiosos, que apostam alto, têm grandes produções ou miram no Oscar. Filmes que se querem importantes, sem ser. Por isso, aqui você não vai encontrar aquele filme terror vagabundo, aquele longa de ação série B, ou a estreia de um popstar como ator. Aqui, o negócio é ruindade com pretensão.

O Lorax

10 O Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida
The Lorax
Chris Renaud, Kyle Balda, 2012

Em tempos de Pixar, é inadmissível que uma animação, mesmo que mire num público infantil, seja tão ingênua e simplista. Este filme não apenas subestima as crianças com uma história boba como não oferece uma nuance sequer para o espectador mais velho.

Filha do Mal

9 Filha do Mal
The Devil Inside
William Brent Bell, 2012

Genérico de tudo. Found footage usada para fazer cinema ruim.

Espelho, Espelho Meu

8 Espelho, Espelho Meu
Mirror, Mirror
Tarsem Singh, 2012

Os filmes de Tarsem Singh, apesar de apostarem sempre num excesso visual, geralmente têm um conceito interessante. Nesta comédia, nada funciona além dos figurinos da finada Eiko Ishioka. Melhor ficar com a versão de ação com Kristen Stewart.

W.E.

7 W.E.
W.E.
Madonna, 2011

Se Madonna tivesse feito um filme linear sobre Wallis Simpson, certamente teria tido mais sucesso. Andrea Riseborough é a melhor coisa do filme. Boa atriz, ela é quem sustenta os resquícios de interesse por W.E. até o final. Ou quase. Porque chegar ao final deste filme é uma tarefa bem árdua.

Tão Forte e Tão Perto

6 Tão Forte e Tão Perto
Extremely Loud & Incredibly Close
Stepehn Daldry, 2011

A certa altura, o garoto vivido por Thomas Horn pergunta para um homem que ele não conhece: “você me perdoa?”. O pedido se referia ao que algo que o protagonista havia feito para uma terceira pessoa. Bem difícil comprar tamanho espírito elevado, que busca expiação num estranho.

Histeria

5 Histeria
Hysteria
Tanya Wexler, 2011

O registro é válido, mas um assunto delicado como esse merecia um tratamento, no mínimo, mais sofisticado. A diretora está mais interessada em fazer um filme popular e conduz o longa como se estivesse fazendo piada numa mesa de bar, julgando a postura tanto dos médicos quanto das pacientes.

A Arte da Conquista

4 A Arte da Conquista
The Art of Getting By
Gavin Wiesen, 2011

Wannabe hipster. Mas não consegue.

Histórias Cruzadas

3 Histórias Cruzadas
The Help
Tate Tylor, 2011

Tem todos os elementos pra conquistar o público: procura justiça, faz chorar, é edificante. Mas não sai do superficial. Tate Taylor, em seu segundo longa, não acrescenta nada à discussão, reduzindo seus personagens a estereótipos lineares. Tudo é preto no branco. Falta cor num filme tão colorido.

Cavalo de Guerra

2 Cavalo de Guerra
War Horse
Steven Spielberg, 2011

Sob o pretexto de evocar um cinema hollywoodiano clássico, Spielberg fez seu filme mais brega, mais datado, quase insuportável de tanto xarope. Melodrama é bom, mas precisa ser bom. A fotografia “eoventolevouniana” é sufocante.

Precisamos Falar Sobre o Kevin

1 Precisamos Falar sobre o Kevin
We Need to Talk About kevin
Lynn Ramsey, 2011

Nem Tilda Swinton salva este filme do fracasso completo. A diretora usa todos os subterfúgios que pode para dar à luz este conto moralista sobre culpa, herança e destino. A obsessão com o vermelho chega a ser grosseira.

Comentários

comentários

10 comentários sobre “Top 10: os piores filmes de 2012”

  1. Eu confesso que fiquei assustado com o primeiro lugar. Gostei muito do filme, vi com minha mãe no cinema, e foi uma experiência bacana. Mas é fato que muita gente valoriza demais ele. A diretora tem filmes muito superiores, mais simples. Espero que o sucesso que ela fez com o “…Kevin” não suba muito a cabeça dela.

    1. Eu realmente não gosto de como o filme culpa a mãe pelo filho e acho que a forma encontrada pela diretora para dar sua “mensagem” é a mais maniqueista possível, mas respeito quem gosta.

  2. Gostei da lista; Histórias Cruzadas é mesmo um poço sem fim de pretensão. Só não concordo com Kevin no topo do podium, adorei o filme! Acrescentaria também à lista de decepções o Rock of Ages; como pode um filme sobre rock ser tão certinho?

  3. Adorei a lista!
    Kevin é realmente um filme muito problemático. Tem lá suas qualidade (Tilda Swinton é uma delas), mas não consegue funcionar.
    Não estaria no primeiro lugar da minha lista de piores, mas estaria na de mais pretensiosos. Como a sua lista já segue por esse caminho, concordo completamente!
    Agora não me lembro de ter sofrido tanto como quando assisti a Cavalo de Guerra. Tratamento de canal com visual clássico!
    Beijos,

  4. Achei o filme do Kevin bastante interessante. A passividade da personagem de Tilda me marcou… Gostei do enfoque, aja visto que os outros dois filmes que vi versando sobre o mesmo tema foram completamente diferentes e piegas…

  5. Eu respeito a opinião de todos más realmente não da para entender.Vc gostou de Batleshipp e John carter, e odiou Precisamos falar sobre Kevin ???? Nessa vc conseguiu ser unanime.

  6. Concordo bastante… Mas acho que a escolha de “… sobre o Kevin” para o primeiro lugar foi mais um desabafo diante da aclamação generalizada ao filme. Não é nenhuma obra-prima ou divisor de águas, como muitos apontam, mas também não achei tão fiasco a ponto de liderar listas assim.

    No mais, diante de uma safra tão ruim do cinema brasileiro (e que só aponta rumos cada vez mais nefastos), senti falta de títulos como “As Aventuras de Agamenon”, “E aí, comeu?” et caterva. Mas a qualidade tá tão baixa que o cinema nacional tende a se tornar hors concours em listas de piores.

    1. A questão é que eu não vou ao cinema para ver “Agamenon” e “E Aí, Comeu?”. E acho que filme “ruim” (“Battleship”) pode ser bem divertido. Pra mim, pior é filme que se pretende sério e importante e é ruim. Acho “Kevin” muito ruim neste aspecto. E olha que nem veja essa aclamação toda em relação ao filme. Tem muitos amigos meus que não gostam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *